terça-feira, 5 de outubro de 2010

ADORMECER... NO BERÇO!

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

A série vitoriosa, começada em Março passado com um total de 21 vitórias consecutivas, foi finalmente interrompida, com o empate cedido na cidade berço, frente ao Vitória de Guimarães.

O FC Porto deve a si mesmo esta cedência, por não ter sido capaz de materializar em golos a superioridade indiscutível patenteada durante todo o jogo. Criou as oportunidades mais que suficientes para sair do relvado do D. Afonso Henriques com uma vitória confortável, mas a ineficácia dos rematadores aliada a um erro clamoroso de Fucile, deitou tudo a perder.

O defesa uruguaio, manifestou mais uma vez limitações a defender e mesmo antes do falhanço que deu o golo do empate havia cometido uma falta dentro da área, merecedora de castigo máximo, que desta vez Xistra não assinalou (algum Santo deve ter caído do altar!).

Os Dragões fizeram uma exibição muito regular, com altos e baixos é certo, mas controlaram e dominaram quase toda a partida, mesmo depois da expulsão de Fucile. É verdade que pertenceu ao Guimarães a primeira grande oportunidade de golo do jogo, mas depois foi o FC Porto a equipa mais ofensiva e perigosa, desperdiçando duas ou três excelentes ocasiões para marcar.

André Villas-Boas recebeu também ordem de expulsão, segundo ele por ter reclamado uma penalidade não assinalada, que sinceramente não consegui descortinar, mesmo socorrendo-me da gravação que fiz do encontro.

Para mim, apesar das habituais Xistralhadas, principalmente no capítulo disciplinar, o FC Porto só se pode queixar de si próprio.

Quanto às performances, nota mais para Fernando e Hulk e nota negativa para Fucile, Belluschi e Silvestre Varela.

Já todos sabíamos que a cedência de pontos poderia acontecer, mais tarde ou mais cedo. Aconteceu neste jogo e disso nenhum mal virá ao mundo.

Agora o que já não faltam são os orgasmos mentais dos frustrados do costume.

9 comentários:

Dragão Azul Forte disse...

Estou desolado pelo empate, mas contente porque face às adversidades vimos uma grande equipa que não esmoreceu até ao fim do jogo (embora sejam discutíveis algumas opções de jogo).

Quando não se ganha é natural que se evidenciem, em primeiro lugar, os defeitos; assim: Varela fez uma exibição medíocre (para não dizer péssima) e Rolando não consegue fazer um passe em condições. Fucile também não esteve bem mas houve “xistrada” na expulsão. Houve erros estratégicos e AVB deixou a equipa adormecer
Bem: Maicon, Hulk, Fernando (não sabe jogar mal), Falcão (incansável) e Álvaro Pereira.

A Manuel Machado saiu-lhe a sorte grande: uma substituição forçada deu-lhe o “às de copas”.
Quanto a AVB: eu não vi “mão” de um jogador do Guimarães na sua grande área. Pode ser que André e outros no banco a tenham visto. Contudo, acho que o discurso do treinador, no final do jogo, peca por excessivo. Talvez por ter sido a quente.

Por fim (nem me apetecia falar desse gajo), mas a Xistrada estava preparada e aconteceu: faltas ignoradas, dois foras-de-jogo tirados de um modo escandaloso, dualidade de critérios. Xistra soube “trabalhar” como os chefes mandaram. Também errou (tenho que ser franco) ao ajuizar do lance na grande área do FC Porto: Fucile, quanto a mim, cometeu falta passível de grande penalidade. 5 minutos de desconto?! Achei pouco.

Atenção à cambada da mouraria: perdemos dois pontos, deitai foguetes oh tristes, mas lembrai-vos que nem multiplicando por 3 esses 2 pontos nos apanhais. Ides ter a vossa dose…
Portistas: alma até Almeida! Estamos a 7 pontos! Eles têm que suar muito e a nós cabe não “baixar a guarda”.

dragao vila pouca disse...

É óbvio que o árbitro errou; é verdade que a transmissão da TVI é uma vergonha - não haver repetição do lance da mão Alex, é o melhor exemplo; mas só nos podemos queixar de nós próprios, na perda dos primeiros pontos.

Quem viu o jogo certamente se terá lembrado do jogo frente ao CSKA, tal as semelhanças com o jogo da capital búlgara. Mas se no jogo de Sófia conquistamos a vitória, também é verdade, que o nosso amolecimento, exactamente como hoje, podia ter-nos custado caro. Não custou, mas não aprendemos a lição e hoje voltamos a fazer exactamente a mesma coisa, voltamos a cometer os mesmos erros, desta vez, lamentavelmente, pagamos caro.
Depois de uma boa primeira-parte, em que fomos nitidamente superiores - apenas perdemos equilibrio como equipa, no lance que Toscano falhou clamorosamente... - dominamos - mais de 60% de posse de bola -, marcamos e em que apenas pecamos nos faltou contundência no último terço do campo, para matar o jogo - um golo é pouco para tanto domínio -, jà na segunda, deixamos rolar, acreditamos que estava ganho e só viriamos a reagir quando sofremos o empate. Não pode ser! Não podemos, com uma vantagem,
apenas tangencial, pensar que temos o jogo ganho. Espero que, definitivamente, a lição tenha sido aprendida e que estes adormecimentos, no futuro, não se voltem a repetir.


Conclusão: não me perturba nada que ao fim de 11 jogos consecutivos a ganhar, tivessemos empatado. Temos uma óptima vantagem e às vezes, um passo atrás, permite dar dois à frente. Não andamos em busca de recordes, mas em busca de recuperar o título e portanto, nada de desanimos, mas atenção, as coisa não vão ser fáceis, a gritaria é constante e para isso é preciso um Porto a correr, a lutar, a pressionar os 90 minutos e não um Porto apenas a querer fazer os serviços mínimos. Tiremos a devidas ilações deste jogo e toca a partir para uma nova série de vitórias consecutivas.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Olá bom dia,

Ontem dominamos e controlamos o Vitória o jogo todo.
O Vitória apenas teve duas oportunidades além da que deu golo.
João Moutinho e Fernando estiveram enorme no meio campo, o que nos permitiu ter controlo sobre o adversário.
Se empatamos foi por culpa própria. Uma equipa mesmo a controlar o jogo deve sempre procurar o segundo golo para matar o jogo. A partir dos 15 minutos da segunda parte, fizemos o que aconteceu na Bulgária, excedemos em demasia a confiança de que o resultado estava feito.
Só que o futebol é imprevisível e num erro defensivo do Fucile, o Vitória consegue sem saber ler nem escrever empatar a partida.
Fucile esteve muito mal ontem. Após ter levado o primeiro amarelo, sabendo que do outro lado estava um árbitro à espera de uma nesga para nos prejudicar, junto à linha lateral num encosto de braço faz demasiado teatro na queda. Teve sorte porque era mesmo falta, senão veria o segundo amarelo.
Comete um penalti na primeira parte escusado sobre o Edgar. Na segunda parte depois da asneira de deixar fugir o recém entrado marroquino, tem aquela entrada imprudente no calcanhar do adversário, o que lhe vale a expulsão, numa altura em que o Porto estava a tentar vencer a partida.
Ainda não vi o citado penalti aos 77 minutos. A reacção de AVB foi a quente. Xistra teve algumas decisões erradas, nomeadamente a não expulsão de João Paulo e alguns fora de jogo mal assinalados, como aquele em que Alvaro na primeira parte se preparava para isolar, e já nos últimos minutos aquele do Falcao.
Na primeira parte podíamos ter selado a partida, não fosse a excelente defesa de Nilson diante do isolado Moutinho.
Resta-nos levantar a cabeça, e continuar a lutar dentro do campo, e nunca mais cair do erro de pensar que o controlo do jogo é garante de vitória.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Armando Pinto disse...

Os mouros já estão a conseguir tirar resultados do seu trabalho de toupeiras mafiosos. Obviamente que os árbitros vêm que se forem justos lhes cai em cima a comunicação social e os próprios órgãos oficiais do futebol, tudo para ser feito os fretes ao clube do regime...
Em tempo de comemoração do centenário da República, este país (como dizia um amigo meu, num comentário no meu blog ao m/ recente post) é uma república das bananas...
Agora, também penso que a nossa equipa tem de fazer mais pela vida, pois se tivesse havido outra postura, teríamos ultrapasado essas manobras de bastidores, do péssimo e desonesto trabalho da arbitragem...
Contudo, do mal o menos, empatamos onde os galinácios perderam. E isto foi um aviso, ou deve ter servido de aviso, pois temos equipa e tudo mais para superarmos tudo isso. E vamos ser Campeões no final, por mais que custe à corja dos malandros que só jogam por fora da justiça e do bem...

http://www.longara.blogspot.com/

Anônimo disse...

Eu percebo interpretações erradas (ou manipuladas) da imprensa lisboeta... Mas de portistas pensava que ia ver mais.
A expulsão de Vilas-boas demonstra uma inteligência do treinador que há muito não via no porto: reparem que ele não reage a quente, no momento da expulsão ele corre e calmamente fala com o Rolando para corrigir a sua posição e só depois é que vai, propositadamente, ser expulso.
Foi um grande movimento, primeiro, porque espevitou a equipa para uma grande reacção, e depois porque foi uma resposta necessária ao que o benfica andava a fazer, com toda a pressão que andam a pôr na arbitragem, nós precisávamos de colocar também essa pressão, com risco de nos arriscarmos a ser seriamente prejudicados no futuro.
Grande Vilas-Boas!
Com os meus melhores cumprimentos,
Rui Amaro

Gaspar Lança disse...

Esperava-se um jogo difícil e assim foi.
Os primeiros pontos perdidos, mas há que levantar a cabeça e seguir em frente, melhorar e vencer.

Um abraço

Jorge disse...

não percebo os comentários exagerados ao trabalho do Xistra, palavra. bastava que aquela bola do Moutinho tivesse entrado e a história seria diferente...

não é nenhuma catástrofe perder dois pontos em Guimarães. os nossos rapazes lutaram pela vitória mas não a conseguiram, há que continuar a trabalhar para voltar a vencer.

quanto a Villas-Boas, excedeu-se. não pode dar motivos à imprensa para se queimas, prejudica-se e prejudica o clube. tem de ter mais calma nos pós-jogos...

um abraço,
Jorge
http://porta19.blogspot.com

P. Ungaro disse...

Ja sabiamos que um dia iriamos perder pontos ... há que levantar a cabeça e proseguir com a nossa caminhada rumo a vitoria.

um abraço

ultrafcporto disse...

Caros Portistas, foi uma arbitragem fraca, não esteve altura do jogo praticado por as duas equipas, a equipa do fcp também não está isenta de culpas neste empate que só acontece porque foram “anjinhos”, depois do golo houve um bom período que adormeceram completamente, atitude que não compreendo e nem vejo motivos para que isso acontecesse, visto que o Guimarães em nada foi melhor que nós, à excepção de 2 lances perigosos. Mesmo com 10 jogadores em campo fomos superiores, em relação ao Fucile teve uma atitude parva e irresponsável, tanto no golo como na expulsão. O mister AVB teve uma atitude semi-parva, teve muito bem a defender a honra da sua dama, mas com atitudes demasiado exageradas. Mas já diz o ditado quem não se sente, não é filho de boa gente.

Cumprimentos,
Ultrasfcporto