segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

BOAS FESTAS



UM FELIZ ANO DE 2008 A TODOS OS PORTISTAS


domingo, 30 de dezembro de 2007

BREVE OLHAR SOB OS REFORÇOS

Numa breve análise à utilização dos reforços de Verão do FC Porto conclui-se que são uma raridade os casos de verdadeiro sucesso. Desta vez não houve os que "pegam de estaca".

Sendo certo que, num grupo de jogadores que contribuiriam decisivamente para a conquista do bicampeonato, a prioridade na constituição da equipa titular logicamente passaria por estes atletas, a verdade é que o acautelar do desgaste que o conjunto de provas em que os Dragões se viram envolvidos sempre provocam, aliada a uma experiência quase desesperante em que ocorreu a 2ª volta do campeonato anterior, aconselharia uma prudente e inteligente gestão dos recursos, privilegiando uma rotatividade que desta feita pouco ou nada aconteceu.

O Marroquino Tarik Sektioui, um regresso ao clube depois de emprestado na época anterior aos holandeses do RKC Waalwijk, constitui a honrosa excepção e ainda assim, dos 23 jogos oficiais (Super Taça, Taça de Portugal, Taça da Liga, Bwin Liga e Champions League) esteve presente em 18, nunca cumprindo os 90'. Soma um total de 992'.

O seu empenhamento na pré-temporada foi decisivo para convencer Jesualdo Ferreira que tem apostado na sua titularidade. O marroquino tem sabido merecer esta aposta com um conjunto de boas exibições abrilhantadas com golos, alguns decisivos, destacando-se o conseguído frente ao Marselha.

Stepanov, com um total de 900' (inclui o jogo para a Taça da Liga onde fez os 90') é o segundo reforço mais utilizado.

Estreou-se no jogo de má memória contra o Fátima onde rubricou uma exibição positiva, que Jesualdo aproveitou para o lançar nas partidas seguintes, concluindo 9 jogos seguídos, incluindo o da Amadora onde esteve francamente mal, estando directamente ligado ao empate consentido nessa partida. Reapareceu contra o Liverpool onde voltou a comprometer e não mais voltou à equipa face à recuperação de Pedro Emanuel. Jogou 10 partidas completas.

O conjunto de exibições pautou-se por uma enorme irregularidade. Alternou trabalho de grande classe com performances desastrosas. Parece-me um jogador com futuro se conseguir corrigir erros de palmatória.

Mariano Gonzalez é o terceiro reforço mais utilizado. Soma 570' repartidos por 15 jogos e um único o tempo todo (Fátima).

Jogador argentino emprestado pelo Palermo, vindo do Inter de Milão, com opção de compra, demora a demonstrar o seu real valor. A sua performance tem variado entre o medíocre e o razoável.

Com a previsível ausência de Tarik para disputar a Taça das Nações Africanas (CAN) ao serviço de Marrocos, vai abrir-se uma janela de oportunidades para Mariano. A ver vamos se estará à altura.

Nuno Espírito Santo, o guarda-redes escolhido para substituir o mítico Vítor Baía, é também um regresso, depois de ter andado pelo Dínamo de Moscovo e Desportivo das Aves. Jogador experiente, de 33 anos, soma 540' repartidos por 3 jogos da Bwin Liga e 1 da Champions, (por lesão de Helton) e ainda pelos 2 jogos das Taças da Liga e de Portugal.

Em todos eles teve um comportamento positivo dando garantias que o lugar de guarda-redes está bem preenchido.

Leandro Lima, a jovem esperança brasileira que chegou ao clube para colmatar a saída de Anderson, foi utilizado em 61', repartidos por 11 jogos, dos quais apenas completou o da Taça da Liga. Muito pouco para se poder aquilatar da sua qualidade. Teve breves apontamentos de classe como o toque para Lucho na Turquia que acabaria por estar na origem da jogada do golo da vitória concluída por Quaresma. No restante tempo concedido tem demonstrado muita imaturidade e pouca utilidade.

Mário Bolatti soma apenas 398' repartidos por 12 jogos. Demonstra ser um dos poucos com futuro, mas tem um Senhor jogador na sua posição que lhe tapa o lugar: Paulo Assunção.

Kazmierkzak foi utilizado em 7 jogos somando apenas 236'. Pouco produtivo nos primeiros jogos tem vindo ultimamente a mostrar-se mais útil.

Lino, o defesa esquerdo contratado à Académica não tem sido aposta de Jesualdo. Conta 180' dos jogos das Taças. O seu desempenho foi regular mas é difícil avaliar um jogador em dois jogos.

Farías (141’), Edgar (98’) e Rui Pedro (46’) encerram a lista dos reforços utilizados.

Vi jogar os primeiros dois e no pouco tempo nada mostraram. Quanto a Rui Pedro nada posso dizer porque não o vi actuar.

O Professor tem beneficiado do facto de ter tido um conjunto de jogadores experientes que lhe garantiram os objectivos principais (Qualificação para os oitavos-de-finais da CL e confortável vantagem da BL), para além de ainda se manter na Taça de Portugal.

Veremos se na segunda metade da época consegue manter os níveis.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

O CAMINHO JÁ PERCORRIDO

O final do ano está à porta e, com a paragem das competições e à falta de melhores desenvolvimentos, um balanço despretensioso vem mesmo a calhar.

O FC Porto arrancou para esta época com o peso dos galões que o símbolo do escudo de campeão nacional lhe confere, neste caso bicampeão, e com a legítima ambição de fazer uma carreira que lhe permita concretizar o Tri.

Em teoria, nesta nova época, partiu de forma muito mais equilibrada, tendo em conta a consolidação do sistema táctico que o Professor Jesualdo alterou no inicio da época transacta em função do abandono do treinador holandês , que como se recordam fazia a equipa jogar em 3x4x3 e ainda pelo facto do treinador ter acompanhado desta vez a pré-época.

É verdade que o plantel sofreu algumas alterações. Destas, as perdas de Pepe e Anderson, face à qualidade que ambos patentearam, fizeram supor que a equipa ficaria mais fraca e as contratações, para as suprir, ainda hoje não convenceram.

Jesualdo, após estudo e competente análise às contratações, optou por apostar nos jogadores campeões da época anterior, fazendo um arranque excepcional no campeonato, garantindo oito vitórias consecutivas, isto depois de uma primeira derrota, em Leiria contra o Sporting, para a Super Taça Cândido de Oliveira, num jogo em que os Dragões se bateram relativamente bem mas em que foram penalizados por uma arbitragem descarada.

Nos seis jogos seguintes, a equipa não foi tão regular, perdendo os primeiros pontos com dois empates seguidos até concluir o último jogo com a derrota na Madeira.

A vantagem é no entanto confortável já que os rivais se encontram a 7 e 9 pontos (ambos derrotados no confronto directo), continuando a manifestar fragilidades que se forem bem aproveitadas poderão decidir o campeonato bem mais cedo que na anterior edição, isto claro está se o Porto não repetir a 2ª volta dessa edição.

Ao nível europeu o FC Porto fez uma boa fase de grupos concluindo na 1ª posição o que lhe garantiu um adversário mais ao seu alcance nos oitavos-de-final.

O principal motivo de descontentamento foi mesmo o afastamento prematuro da Taça da Liga.

Podem argumentar o que entenderem sobre a importância deste novo troféu (o prof. colocou uma equipa constituída pelos novos reforços, duma assentada, pondo em causa essa importância!), mas como nem a feijões gosto de perder

Para a Taça de Portugal ainda só se jogou uma eliminatória com os principais clubes pelo que nos limitamos a cumprir a obrigação de vencer uma equipa do escalão secundário, ao contrário do que na época anterior em que fomos eliminados à primeira pelo Atlético.

O desempenho global em termos exibicionais tem sido razoável tendo atingido em alguns momentos o brilhantismo que está ao alcance desta equipa bem como do talento de alguns atletas como Lucho, Quaresma, Lisandro e Tarik que protagonizaram situações de rara beleza futebolística. Bosingwa, a dupla P. Emanuel / B. Alves e ainda P. Assunção, têm sido muito pendulares.

As perspectivas são boas mas ainda não ganhamos nada, como bem diz Jesualdo Ferreira. Por isso espero que esta pequena paragem seja aproveitada para o recarregar de baterias no sentido de retomarmos o caminho das vitórias.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

ENTRAR PELA MADEIRA DENTRO...A ESCORREGAR!

Palco do Jogo: Estádio da Madeira - Choupana
Competição: Bwin Liga - 14ª Jornada
Hora do Jogo: 20:30 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, P. Emanuel, B. Alves e Fucile; P. Assunção, R. Meireles (Leandro L. 67') e Lucho G.; H. Postiga (Adriano 60'), Lisandro L. e Mariano G. (Kazmierczak 78')
Suplentes não utilizados: Nuno, João Paulo, M. Cech e Bolatti
Árbitro: Pedro Henriques - Lisboa
Acção disciplinar: Cartão amarelo para P. Assunção (60')

A deslocação à Madeira traduziu-se na primeira derrota do FC Porto no presente campeonato.
Em terreno escorregadio os Dragões entraram melhor dominando os primeiros vinte/vinte e cinco minutos onde foram construídos alguns lances de algum perigo mas onde foi notória a incapacidade para, nos momentos determinantes, alguns atletas se manterem em pé (?), escorregando caricata e frequentemente, desperdiçando dessa forma algumas jogadas que poderiam levar ao golo.

Aos 4' Bosingwa numa bela incursão pela direita cruzou com a bola a passar frente à baliza contrária sem que qualquer dos avançados conseguísse tocar para as redes; Aos 6' Mariano ganhou o lance dentro da área, tocou para Postiga que atirou muito ao lado; Aos 8' outra vez Postiga, em boa posição no momento do remate escorregou e desperdiçou mais um lance; Aos 12' Lucho quando se preparava para finalizar vê-se desarmado no momento certo.

O Porto jogava bem, trocando a bola em passes bem medidos, mas tirando os momentos descritos sentia grandes dificuldades em avançar no terreno onde a falta de ligação era evidente.

A partir dos 20/25' o Nacional conseguiu tomar conta do jogo empurrando os azuis e brancos para perto da sua baliza, concluindo mesmo a primeira parte com mais remates. Os jogadores portistas davam mostras de incapacidade para contrariar esta tendência.

Veio a segunda parte e o Nacional entrou a pressionar, mas foi o FC Porto a criar muito perigo por duas ocasiões: A primeira teve como protagonistas o avançado Mariano Gonzalez, o defesa nacionalista Felipe Lopes e o árbitro Pedro Henriques. Mariano sofre falta dentro da área e o árbitro marcou a respectiva falta... fora dela! O defesa foi admoestado com cartão amarelo; Na segunda o protagonista foi Lisandro Lopez que servido por Mariano Gonzalez, no coração da pequena área desferiu um pontapé de bicicleta a que o guardião correspondeu com espectacular defesa.

Quem não marca arrisca-se a sofrer. Foi o que aconteceu três minutos mais tarde numa perdida de Postiga a meio campo Lipatin é servido à entrada da área e faz um belo golo.

O Porto sentiu este golo e a qualidade de jogo baixou ainda mais com alguns desnorte e precipitação à mistura. No auge, Bosingwa num lançamento lateral deixou cair a bola de forma caricata!

Jesualdo tentou com as substituições remar contra a maré mas o destino estava traçado, escorregar na Choupana onde nunca o Porto tinha perdido.

O Porto criou até final boas oportunidades para pelo menos evitar a derrota. Kazmierczak viu uma bola bater no ferro e mais tarde Lisandro bem posicionado atirou às redes laterais.

Voltamos à "curtíssima" vantagem de "apenas" sete pontos e portanto volta a relançar-se o campeonato!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

QUE A MADEIRA SEJA UM BOM PORTO DE ABRIGO!

O FC Porto vai-se deslocar à Madeira para defrontar o Nacional na 14ª Jornada da Bwin Liga. Sem Quaresma (castigado) e sem T. Sektioui (lesionado), Jesualdo Ferreira aparenta tranquilidade e confiança nos seus substitutos.

Para este Jogo o Professor escolheu o seguinte lote de Jogadores:

Helton, Nuno, Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves, Fucile, João Paulo, Marek Cech, Lino, Paulo Assunção, Raúl Meireles, Lucho Gonzalez, Bolatti Kazmierczak, Leandro Lima, Mariano Gonzalez, Lisandro Lopez, Hélder Postiga e Adriano.

Não é tarefa fácil adivinhar quais os substitutos que o treinador escolherá para o lugar dos habituais titulares face à imprevisibilidade de Jesualdo, especialment
e para um dos lugares da frente já que me parece óbvio que Mariano Gonzalez será um dos eleitos. Entre Hélder Postiga e Adriano é que, a meu ver, a escolha será menos previsível.

Inclino-me para a escolha de Postiga, apenas e só pelos minutos concedidos em jogos oficiais, sem contar com a Intercalar naturalmente, que favorece este (412' contra os 342' de Adriano).

EQUIPA PROVÁVEL
O jogo vai realizar-se amanhã pelas 20:30 h, será apitado por Pedro Henriques - Lisboa e será transmitido pela SporTv1.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

MESMO A ESTE NÍVEL É BOM GANHAR!

O FC Porto cumpriu esta tarde mais uma jornada da Liga Intercalar do Campeonato de Inverno, a 4ª ronda mais precisamente.
Os Dragões apresentaram oito jogadores do principal plantel, atletas menos utilizados como se sabe, na equipa principal.


FICHA DE JOGO
Estádio do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival
Campeonato de Inverno da Liga Intercalar, 4ª Jornada
19 de Dezembro de 2007
Assistência: 900 espectadores
Árbitro: Raul Valega
F.C. Porto: Ventura; Eridson, Stepanov, João Paulo «cap.» e Lino; Graça, Castro e André André; Rui Pedro, Edgar e Marco Aurélio
Substituições: Stepanov por André Pinto (46m), João Paulo por Tengarrinha (46m), Edgar por Farías (46m), Graça por Dias (63m) e André André por Ramon (73m)
Não utilizados: Rafael
Treinador: João Pinto
Marcadores: André André (29m) e Edgar (45m+1)

Ficha do jogo e imagens retiradas do site oficial (http://www.fcporto.pt/)

Após a 4ª Jornada O FC Porto segue na 3ª posição com 9 pontos, atrás de Varzim e Leixões que somam por vitórias os 4 jogos disputados acumulando os respectivos 12 pontos.
Na próxima jornada o FC Porto desloca-se à Póvoa de Varzim, no dia 2 de Janeiro, para defrontar um dos líderes da prova.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

OS QUATRO MOMENTOS

1º - CLASSE (Passe de Lucho), PRECISÃO (centro de Lisandro) e... ???? (remate de Quaresma)



2º - RAPIDEZ (Colocação da bola em jogo de Helton), INTELIGÊNCIA (Meireles e P. Assunção), PRECISÃO (Centro de Quaresma) e... ??? (Remate de Tarik)



3º - INSISTÊNCIA (Quaresma), PRECISÃO (Cruzamento de Meireles) e EFICÁCIA (Remate de tarik)



4º - ENVOLVIMENTO (Quaresma, Bolatti e P. Assunção), PRECISÃO (Cruzamento de Cech) e CODÍCIA/CLASSE (Remate de Lisandro)

sábado, 15 de dezembro de 2007

DE BOM FUTEBOL SE FEZ MAIS UMA CONQUISTA

Palco do Jogo: Estádio do Dragão - Porto
Assistência: 36.812 espectadores
Competição: Bwin Liga - 13ª Jornada
Hora do Jogo: 20:45 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, P.Emanuel, B. Alves e M. Cech; P. Assunção, R. Meireles (Bolatti 68') e Lucho G. Mariano G. 76'); Quaresma, Lisandro L. e T. Sektioui (Adriano 80')
Suplentes não utilizados: Nuno, João Paulo, Leandro Lima e H.Postiga
Árbitro: Olegário Benquerença - Leiria
Marcadores: T. Sektioui (55') e Lisandro L. (73')
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Quaresma (37') - O quinto pelo que fica de fora no próximo jogo


Num belíssimo jogo de futebol em noite muito fria, o FC Porto somou mais uma vitória juntando mais três pontos ao seu pecúlio que lhe vai garantindo a liderança, cada vez mais confortável.

O Vitória tal como prometeu o seu treinador, apoiado por uma boa mancha de adeptos entusiastas, deu muito trabalho ao bicampeão tendo a ousadia de jogar no campo todo e pondo à prova as reais capacidades dos Dragões, valorizando quer o espectáculo quer o próprio resultado.

O FC Porto aproveitou para demonstrar, mais uma vez, que é a melhor equipa nacional e a razão porque também é a única a ombrear com os grandes da Europa.

Numa primeira parte de ritmo forte Lisandro aos 7', começou por ameaçar as redes contrárias desfeiteando o defesa vimaranense ficando à entrada da área bem colocado para o remate que encontrou no caminho da bola o guardião. Estava dado o mote. Aos 8' Quaresma a cerca de um metro da baliza já desguarnecida mete mal o pé e falha incrivelmente um golo praticamente feito. Aos 24' é a vez de Sektioui imitar Quaresma que muito bem assistido pelo mágico atirou por cima da baliza, fazendo o mais difícil!

O Jogo decorria em bom ritmo, com jogadas de fino recorte técnico onde Lucho (espectacular) Quaresma e Tarik desenvolviam a sua genialidade. O Guimarães tratava bem a bola e de quando em vez acercava-se com algum perigo da área portista onde o acerto do sector defensivo era uma constante. Pedro Emanuel dá realmente outra segurança.

O nulo da primeira parte ficou a dever-se especialmente às duas perdidas incríveis acima salientadas.

No segundo tempo o Vitória complicou ainda mais e aos 54' Alan obrigou Helton a uma grande defesa negando-lhe o golo. Na resposta Quaresma levou a bola descaído sobre a esquerda, ganhou uma insistência, colocou-a em Raúl Meireles que de pronto cruzou rasteiro na direcção de Tarik, que junto ao segundo poste não perdoou, inaugurando o marcador.

Mais tarde, aos 73' Marek Cech cruzou da esquerda, Lisandro recebe com o peito, tira o defesa do caminho e fuzila Nilson fazendo o segundo.

A partir deste momento o Porto baixou o ritmo, fez substituições e controlou até final as investidas deste forte Guimarães.

Vitória difícil mas justa da melhor equipa sob o terreno.

Destaques para Lucho Gonzalez que atravessa um momento de forma espectacular. Joga e faz jogar. Pedro Emanuel pela segurança que transmite à equipa, Lisandro pelo empenho e utilidade. Para além de apontar golos também ajuda a defender. É um todo o terreno. Quaresma pelo génio que empresta ao jogo e Tarik pelas mudanças de velocidade (apesar dos falhanços incríveis de ambos).

Com mais esta vitória vai-se desbravando o caminho para o TRI.

PARA NOVA CONQUISTA

Fucile não recuperou de um toque frente ao Besiktas e vai falhar o jogo de hoje contra o VSC de Guimarães, actual 3º classificado, que se desloca ao Dragão no âmbito da 13ª jornada da Bwin Liga.

É aliás, a única alteração na convocatória para este jogo em relação à da CL que conta ainda com o regresso de Leandro Lima.

Lista dos convocados: Helton, Nuno, Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves, Marek Cech, João Paulo, Paulo Assunção, Raúl Meireles, Lucho Gonzalez, Bolatti, Leandro Lima, Ricardo Quaresma, Lisandro Lopez, Tarik Sektioui, Mariano Gonzalez, Hélder Postiga e Adriano.

EQUIPA PROVÁVEL


Trata-se de um encontro de dificuldade média tendo em conta o bom momento que atravessa o nosso adversário bem como as tradicionais complicações que os embates entre estas equipas costumam proporcionar. Contudo o favoritismo pertence sem qualquer sombra de dúvidas aos Dragões.

A partida terá início pelas 20:45 h, Olegário Benquerença - Leiria será o árbitro e a transmissão televisiva ficará a cargo da TVI.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

RECORDAR TÓQUIO 20 ANOS DEPOIS

Foi em treze de Dezembro de 1987 que o FC Porto logrou alcançar pela primeira vez o título de Campeão do Mundo de Clubes, na altura Taça Intercontinental, faz hoje exactamente 20 anos.

Foi frente ao Peñarol de Montevideu (Uruguai), debaixo de um enorme nevão que cobriu o relvado de branco e em que os dragões foram autênticos limpa-neves e simultâneamente papa troféus pois nesse glorioso ano ganharam tudo o que havia para ganhar.

Gomes e Madjer foram os autores dos golos que fizeram vibrar os portistas que do lado de cá do Globo assistiram via televisão, a altas horas da madrugada, ao feito, mais um, do clube que a partir dessa época, melhor havia de representar Portugal.

A equipa alinhou com Mlynarczyk; João Pinto, Geraldão, Lima Pereira e Inácio; Jaime Magalhães, André, Rui Barros (Quim 61') e Sousa; Madjer e Gomes.

O treinador era Tomislav Ivic

Aqui fica a minha homenagem a quantos contribuíram para este colossal êxito



VIVA O FC PORTO!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

GOLEADA NA INTERCALAR

A Liga Intercalar teve hoje mais uma jornada, a 3ª que opôs o FC Porto ao SC Braga.
O Jogo foi disputado no Centro de Treinos FD PortoGaia, no Olival, na presença de cerca de mil adeptos, pelas 15:00 h

Ficha do Jogo:

Liga Intercalar 2007/2008
3ª Jornada do Campeonato de Inverno
Árbitro: José Rodrigues
FC Porto: Ventura; Eridson, João Paulo (cap.), Tengarrinha e Lino; Castro, Kazmierczak, Leandro Lima e Rui Pedro; Adriano e Edgar
Jogaram ainda: André Pinto, André André, Ramon e Marco Aurélio
Não utilizados: Ruca, Graça e Alex
Treinador: Rui Barros
Ao intervalo: 2-0
Marcadores: Adriano (21'), Kazmierczak (37'), Leandro Lima (51') e Marco Aurélio (89')


Ficha do Jogo e imagens recolhidas do site oficial do FC Porto (http://www.fcporto.pt/)


TAÇA DE PORTUGAL

Realizou-se hoje o sorteio para a 5ª eliminatória da Taça de Portugal que se disputará em 20 de Janeiro de 2008

FC PORTO x D. DAS AVES

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

À CAMPEÃO, POIS ENTÃO!

Palco do Jogo: Estádio do Dragão - Porto
Assistência: 39.608 espectadores
Competição: Champions League - 6ª Jornada Grupo A
Hora do Jogo: 19:45 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, P. Emanuel, B. Alves e Fucile (M. Cech 74'); P. Assunção, Raúl Meireles e Lucho G. (Bolatti 81'); Quaresma, Lisandro Lopez e T. Sektioui (H. Postiga 72')
Suplentes não utilizados: Nuno, João Paulo, Mariano Gonzalez e Adriano
Árbitro: Peter Frojdfeldt - Suécia
Marcadores: Lucho Gonzalez (44') e Quaresma (62')
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Quaresma (22')


O FC Porto apresentou-se no relvado do Dragão consciente da importância deste encontro e por isso apelando à concentração, estabilidade emocional, segurança defensiva, domínio do jogo e do adversário, nunca deixou o opositor pôr o pé em ramo verde.

Entrou com grande rigor táctico, muito pressionante e sobretudo cerebral, emprestando à sua exibição a classe dos grandes campeões.

Soube empurrar o adversário para o seu último reduto construindo jogadas de perigo que poderiam ter antecipado o inaugurar do marcador.

Quaresma aos 3' obriga Rustu a socar com dificuldades; Lisandro Lopez aos 13' Marca mesmo mas o golo é anulado (mal) por pretenso fora de jogo; Aos 40' Bosingwa em jogada soberba pela direita depois de fintar vários adversários remata forte e Rustu, mais uma vez evita o golo; Finalmente aos 44' Raúl Meireles procura o remate de longe, a bola sobe em arco caindo na área onde estava Tarik, que calmamente assiste Lucho. Enquanto o guardião fica a reclamar a posição do marroquino (posição legal, diga-se), El Comandante atira par as redes inaugurando o marcador materializando finalmente o ascendente dos dragões.

Na segunda parte o Porto manteve o domínio do jogo ainda que os turcos procurassem ter mais a bola, mas os azuis e brancos mantinham-se intransponíveis na sua defesa e continuavam a espreitar novas oportunidades para dilatar o marcador. Paulo Assunção falhou a sua ao atirar ao lado depois de excelente jogada onde apareceu solto sobre a direita.

Aos 61', Lucho assiste Quaresma que fica solto rematando em arco consumando o 2º golo portista que confirmaria a liderança no grupo.

Até ao final foi o controlo absoluto do jogo.

Missão cumprida, objectivo alcançado e ao fim de onze anos o Porto volta a conseguir o 1º lugar.
Para além de ter conseguído o oitavo acesso aos oitavos-de-final, em treze participações é também a única equipa portuguesa que se mantém na Champions.

Este Clube continua a ser motivo de orgulho para alguns portugueses!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

DO DRAGÃO VAI SAIR A DECISÃO

Amanhã é o dia de todas as decisões no que concerne ao futuro do FC Porto nas provas Europeias.

Num grupo em que o equilíbrio pontual é a nota dominante, todos os cenários estão em aberto, desde o mais positivo( 1º lugar do grupo) ao mais negativo (último lugar do grupo), conforme a conjugação de resultados que se vier a verificar.

É por tudo isto uma jornada de muita responsabilidade que a equipa terá que abordar com as serenidade, classe e competência só ao alcance dos verdadeiros campeões.

Mas é também um teste aos adeptos portistas que se vão deslocar ao palco dos sonhos, cuja obrigação é a de se constituir como o verdadeiro 12º jogador.

Jesualdo Ferreira conta com os melhores atletas, os que mais tem utilizado, consequentemente mais rotinados e quiçá os que mais garantias darão a um bom desempenho anímico, táctico e técnico.

Da convocatória constam os seguintes atletas: Helton, Nuno, Bosingwa, P.Emanuel, B. Alves, Fucile, Marek Cech, João Paulo, P. Assunção, Raúl Meireles, Lucho Gonzalez, Bolatti, Quaresma, Lisandro Lopez, Tarik Sektioui, Mariano Gonzalez, Adriano e H. Postiga.

EQUIPA PROVÁVEL


O jogo será no Estádio do Dragão pelas 19:45 h frente aos turcos do Besiktas, será apitado pelo sueco Peter Frojdefeldt e terá honras televisivas na RTP1.

Queremos ser primeiros!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

PARA LÁ DO MARÃO... MANDOU O BICAMPEÃO

Palco do jogo: Estádio Municipal de Chaves - Chaves
Competição:
Taça de Portugal - 4ª eliminatória
Hora do jogo:
19:30 h
FC Porto: Nuno, Fucile, P. Emanuel, João Paulo e Lino; Bolatti, Kazmi
erczak e Leandro Lima (Lucho Gonzalez 61'); Mariano Gonzalez (Lisandro Lopez 75'), Hélder Postiga (Marek Cech 89') e Adriano.
Suplentes não utilizados: Ventura, Bruno Alves, Paulo Assunção e Edgar.
Árbitro: Elmano Santos - Madeira
Marcadores:
Hélder Postiga (53') e Adriano (91')
Acção disciplinar:
Cartões amarelos para Hélder Postiga (55') e Adriano (56')

A necessitar de fazer uma gestão de recursos com vista ao próximo compromisso internacional que é já na Terça-feira, Jesualdo foi temerário, tendo em conta as experiências de um passado recente que lhe causaram amargos de boca, apresentou-se em Chaves com uma equipa amputada de nove dos habituais titulares.

O Desportivo de Chaves, actualmente líder da Série A da II Divisão Nacional, a jogar em casa entrou forte e teve uma bola na trave aos logo aos 3'.

Passado este ímpeto inicial que durou pouco mais de 10', o Porto começou a tomar conta do jogo, embora com um futebol pouco esclarecido e sem grande ligação entre os sectores.

Mariano Gonzalez dispôs de excelente oportunidade aos 34' ao surgir isolado frente ao guardião flaviense, não conseguindo desfeiteá-lo. Mais tarde é Adriano que faz brilhar o guarda-redes contrário numa cabeçada a um cruzamento de Leandro Lima.

Na segunda metade o Porto, mais fresco fisicamente, pressionou ainda mais o Desportivo e aos 53', premiando um ascendente muito evidente inaugurou o marcador por Postiga que rematou de primeira u
m "amortie" de Kazmierczak.

O controlo do jogo era cada vez mais nítido a que não foi estranho as entradas de Lucho e Lisandro. Postiga e Bolatti ainda puseram à prova as capacidades do guardião do Chaves que no entanto foi impotente para travar, aos 91', o remate de Adriano que de primeira, sem deixar a bola bater no chão disparou, depois do cruzamento de Lucho, fazendo o resultado final.

Vitória justa num jogo nem sempre bem jogado onde se destacou Pedro Emanuel pela segurança e comando que emprestou à equipa.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

CHAVES PARA O SUCESSO?

O FC Porto desloca-se amanhã a Chaves para defrontar a equipa local em jogo a contar para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, que conta pela primeira vez com clubes da Bwin Liga.

Será portanto a estreia dos Dragões na prova desta época e espera-se que desta vez seja a chave para o sucesso.

Na mente de todos os portistas está ainda bem presente o primeiro e único jogo da Taça de Portugal da época passada que teve um resultado surpreendente e amargo já que foi às mãos do Atlético que os azuis e brancos soçobraram em pleno Estádio do Dragão.

Também nessa altura Jesualdo Ferreira entendeu por bem dar descanso a uns tantos titulares com os resultados que todos sabemos, quer em termos exibicionais quer no resultado final.

Jogadores e equipa técnica estão por isso avisados, como já o estariam certamente no decorrer desta época quando defrontaram o Fátima para a Taça da Liga, por quem foram prematuramente eliminados, para que os erros então cometidos não se repitam.

Para amanhã, o professor vai fazer descansar Helton, Bosingwa, Stepanov, Raúl Meireles, Quaresma e Tarik Sektioui, alguns destes a recuperar de toques ligeiros.

Lista completa dos convocados: Nuno e Ventura; Fucile, Pedro Emanuel, Bruno Alves, MareK Cech, João Paulo e Lino; Paulo Assunção, KazmierczaK, Lucho Gonzalez, Bolatti, Castro e Leandro Lima; Lisandro Lopez, Adriano, Mariano Gonzalez, Hélder Postiga e Edgar.

EQUIPA PROVÁVEL

O jogo está agendado para as 19:30 h.

Força Porto!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

INTERCALAR


Palco do Jogo: Complexo Desportivo de Guimarães
Competição:
Liga Intercalar - 2ª jornada do campeonato de Inverno

Hora do Jogo: 15:00 h
FC Porto:
Nuno (Ventura, 45m), Castro, André Pinto, Eridson, António Graça, André André, Ricardo Miguel (Tengarrinha, 45m), Rui Pedro, Marco Aurélio, Alexandre Freitas (Jorge Chula, 67m) e Edgar (Ricardo Dias, 60m)
Suplentes não utilizados: Paulo Sérgio e Rui Caetano

Árbitro:
Pedro Barbosa - Po
rto
Treinador:
João Pinto

O FC Porto, com apenas quatro jogadores do plantel principal, a que não será alheio o próximo jogo para a Taça de Portugal, perdeu esta tarde em Guimarães o segundo jogo desta prova.

Os vimaranenses, ao invés, apresentaram-se com dez atletas do seu principal plantel e
venceram com justiça.

Os azuis e brancos foram algo perdulários, principalmente na primeira parte e desenvolveram um futebol desligado e sem inspiração. O Vitória mais arrumado e coeso tirou partido da situação.

«Deu para ver que a nossa equipa de jogadores jovens tem um largo futuro pela frente. A experiência e o ritmo competitivo eram diferentes. Treinar os jogadores com equipas superiores não tem nada a ver com o Nacional de júniores, mas estou satisfeito com o que os jogadores mostraram. Foi um bom encontro e não pude trazer jogadores mais experientes por causa do jogo de sexta-feira para a Taça.»

Palavras de João Pinto.

domingo, 2 de dezembro de 2007

TRIVELA EXEMPLAR

Um golo como este tem obrigatoriamente que constar no compêndio do futebol, por isso quero deixar aqui o seu registo. LINDO!!!

sábado, 1 de dezembro de 2007

PRIMEIRA PARTE DE LUCHO E MAGIA DE QUARESMA


Palco do jogo: Estádio da Luz - Lisboa
Assistência: 60.116 espectadores
Competição: Bwin Liga - 12ª Jornada
Hora do jogo: 19:45 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, P. Emanuel, B. Alves e Fucile; P Assunção, R. Meireles (Bolatti 81') e Lucho G.; Quaresma (Mariano G. 69'), Lisandro L. e T. Sektioui (H. Postiga 61').
Suplentes não utilizados: Nuno, Stepanov, M. Cech e Kazmierczak.
Árbitro: Jorge Sousa - Porto
Marcador: Quaresma 42'
Acção disciplinar: Cartões amarelos para Fucile (44'), T. Sektioui (63') e Helton (87')

Depois de uma semana de colinho da CS cuja única preocupação foi enfatizar argumentos que fizessem elevar a moral da equipa da capital do império (possibilidade de ficarem a 1 ponto do comando, grande exibição contra o Milão, cinco vitórias consecutivas, trinta e não sei quantos jogos sem perder para o campeonato, etc.) o FC Porto apresentou-se na Luz com o seu mais competente conjunto demonstrando clara e inequivocamente que se trata da melhor equipa nacional.


Alheando-se ao folclore habitual em torno deste tipo de jogos o FC Porto subiu ao relvado disposto a por em prática a superioridade que os títulos das últimas décadas não desmentem, apesar das manobras baixas que nas várias esferas do poder se vão esgrimindo para desvalorizar a sua hegemonia.

Fez uma primeira parte de grande classe, muito à custa da coesão colectiva com preponderância para Lucho Gonzalez, ao seu melhor nível, de Lisandro uma seta dirigida à baliza contrária e da magia do incontornável Quaresma.

O banho de bola foi tal que o resultado da primeira parte é muito lisonjeiro para o adversário não reflectindo minimamente as ocasiões criadas pelos Dragões, a saber:

12' Lisandro Lopez derrubado na área por David Luiz. O árbitro nada assinala.
32' T. Sektioui depois de assistido por Lisandro remata forte fazendo a bola passar muito próximo do poste da baliza com Quim batido.
41' Perdida de Lisandro Lopez permitindo a defesa de Quim, muito próximo da linha de golo
42' Quaresma recebe um passe de Lucho. Descaído do lado direito, passa por David Luiz flectindo para o centro e já dentro da área, completamente à vontade desfere a sua famosa trivela colorindo o marcador de azul e branco, para gáudio da assistência desta cor, incansáveis no apoio aos bicampeões. Bonita jogada e belo golo.

Na segunda metade o Porto deu espaço ao adversário recuando no terreno e foi controlando a partida que passou a jogar-se em ritmo mais lento mas sempre com o contra-ataque na mira.
Quaresma ainda teve um bom remate que o guarda-redes contrário defendeu com dificuldade.

No final vitória justa a premiar o bom desempenho de toda a equipa.

São agora sete os pontos de vantagem para tristeza da "tal" CS que contava como certa a vitória das suas cores.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

O CLÁSSICO DEMORA MUITO?

Joga-se no Sábado o clássico que porá frente a frente os bicampeões nacionais e o actual 2º classificado. A distância é de quatro pontos com vantagem para os nortenhos.
A Comunicação Social em geral tem publicitado insistentemente que essa diferença poderá ser reduzida para um ponto, evidenciando um desejo mais que uma possibilidade de entre três possíveis já que as outras duas foram liminarmente ignoradas.


Aparentemente alheios a este descarado empolgamento vermelhusco, o plantel azul e branco tem trabalhado regularmente, anímica ( procurando esquecer o desaire da CL) , técnica e tacticamente, adquirindo níveis de confiança capazes de reverter a seu favor o próximo confronto que costuma ser o de uma luta desigual tais as ajudas exteriores de que o adversário vai beneficiando de forma despudorada, ou não fosse o auto proclamado clube dos seis milhões, cuja perda da hegemonia para, mais que um rival, um inimigo de estimação, tem refinado os meios para atingir de morte o principal causador dessa desgraça. Esse mesmo, Pinto da Costa.

O próximo jogo será, pela soma de vários factores, muito mais que que uma simples jornada do campeonato. Será também, mais uma vez, a resposta aos detractores, aos invejosos e principalmente aos frustrados deste país que não aceitam a superioridade com que as cores azuis e brancas os tem brindando.

Por isso, a equipa portista tem que apelar ao seu esforço, classe e competência para construir mais uma jornada vencedora.
Para tal, Jesualdo Ferreira chamou os seguintes atletas: Helton, Nuno, Bosingwa, Stepanov, Bruno Alves, Fucile, Pedro Emanuel, Marek Cech, Paulo Assunção, Raúl Meireles, Lucho Gonzalez, Bolatti, Kazmierczak, Leandro Lima, Quaresma, Lisandro Lopez, Tarik Sektioui, Hélder Postiga e Mariano Gonzalez.

EQUIPA PROVÁVEL


Jogo está marcado para as 19:45 h de Sábado, o homem do apito será Jorge Sousa do Porto e terá transmissão televisiva na SporTv1.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

PERDIDA A BATALHA MAS NÃO A GUERRA

Palco do jogo:Estádio Anfield Road - Liverpool
Competição: Champions League - 5ª Jornada - Grupo A
Hora do jogo: 19:45 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, Stepanov, B. Alves e M. Cech; P. Assunção (H. Postiga 81'), Kazmierczak (R. Meireles 65') e Lucho G.; Mariano G. (T.Sektioui 77'), Lisandro L. e Quaresma.
Suplentes não utilizados: Nuno, P. Emanuel, Fucile e Bolatti
Árbitro: Roberto Rosetti (Itália)
Marcadores: Lisandro Lopez (33')
Acção disciplinar: Cartões amarelos para P. Assunção (48'), Stepanov (82') e Quaresma (91')

Uma presença sem brilho nem glória em terras de Sua Magestade foi quanto a equipa do FC Porto conseguiu apresentar no inferno de Anfield Road.

O Liverpool a necessitar de vencer para se posicionar na discussão pelo direito a estar presente nos oitavos de final da prova entrou no jogo com a habitual velocidade e ritmo de jogo tipicamente britânicos que o FC Porto conseguiu a espaços sacudir.

No
entanto eram visíveis as dificuldades dos dragões saírem para o ataque com a bola controlada em função de uma percentagem elevada de passes errados para o adversário que aproveitava para se acercar da nossa baliza, algumas vezes com muito perigo.

Com uma equipa algo diferente do habitual face à titularidade de Marek Cech, Kazmierczak e Mariano Gonzalez o Porto procurou adormecer o jogo mas as transições foram quase sempre deficientes, precipitadas e até confusas dando trunfos ao adversário que não se fez rogado.

Aos 19' o Liverpool inaugurou o marcador por Fernando Torres, na sequência de um canto. Lucho Gonzalez quando se fazia ao lance escorregou permitindo que o avançado cabeceasse sem oposição.

O Porto não se desuniu apesar de continuar a patentear dificuldades e numa transição rápida pela esquerda Kazmierczak coloca primorosamente a bola na cabeça de Lisandro que no coração da área fez a bola beijar as malhas num golo de belo efeito. Três minutos depois o mesmo Lisandro teve nos pés a possibilidade de fazer novo golo , quando recebeu a redondinha já dentro da área rematando para uma defesa do guarda-redes que a conseguiu desviar passando a poucos centímetros do poste. Foi o melhor período dos dragões que conseguíram até ao intervalo controlar a partida.

Na segunda parte o Liverpool entrou menos perigoso e intranquilo, talvez a acusar a responsabilidade do encontro. Mas os jogadores portistas que iam anulando com segurança os lances de ataque perdiam-se no endosso da bola que cada vez mais sistematicamente acabava nos pés dos adversários. O Liverpool foi ganhando confiança e por volta dos vinte minutos intensificou o assalto ao último reduto portista provocando momentos de aflição como ainda não se tinha visto. Foi por isso com toda a naturalidade que apareceu o segundo golo. O Avançado espanhol do Liverpool F. Torres beneficiando de um ressalto em Stepanov fica com o caminho livre para desferir o remate certeiro.

O Liverpool galvanizou-se e passados cinco minutos o árbitro italiano sancionou uma mão de Stepanov que estava a sofrer falta, dentro da área, apontando grande penalidade. Gerrard na marcação não deu hipóteses a Helton.

O Porto vivia agora momentos de pânico. A entrada do gigante Peter Crouch e a substituição feita por Jesualdo fazendo sair P. Assunção para a entrada de Hélder Postiga ajudaram à festa. E o quarto golo surgiu mesmo aos 87' na sequência de um canto, por Crouch que à vontade nem precisou de saltar para cabecear e introduzir a bola na baliza portista instalando definitivamente o desalento no seio dos azuis e brancos.

Numa exibição para esquecer só merece realce o esforçado Lisandro Lopes que foi de longe o portista que menos mereceu esta derrota violenta. Apesar deste resultado o Porto mantém a liderança e continua a depender apenas de si próprio para se apurar para os oitavos-de-final da prova.



ENTRAR A GANHAR NUMA PROVA PARA RODAR


Palco do Jogo: Centro de treinos do Olival
Competição: Liga Intercalar - 1ª jornada do campeonato de Inverno
Hora do jogo: 15:00 h
FC Porto: Ventura; Eridson, João Paulo, André Pinto e Lino;Castro, Leandro Lima e André André (Graça 89'); Rui Pedro, Adriano e Edgar (Tengarrinha 72').
Suplentes não utilizados: Ruca, Marco Aurélio e Caetano
Árbitro: Ivan Vigário
Marcadores: Adriano (19' e 88') e Rui Pedro (23')

Treinador: Rui Barros

O Porto entrou hoje a ganhar nesta novel competição, inventada para desenferrujar alguns atletas menos utilizados na equipa principal e fazer rodar algumas jovens esperanças.
Jogado a horas inconvenientes, para quem tem trabalho diurno, ainda assim estiveram presentes cerca de dois mil assistentes.

Não vou entrar em pormenores sobre um jogo que não vi, mas segundo a crónica do site oficial a exibição foi promissora.

Tenho a ideia que esta competição não será de grande importância, a não ser a de fazer rodar alguns jovens, face à fraca competitividade da mesma. Quanto aos atletas do plantel principal não é com ela que adquirirão a endurance para conquistar a titularidade. Apesar de tudo é preferível ter esta que nenhuma.

O próximo jogo é na próxima Quarta-feira frente ao Guimarães à mesma hora.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

COM A QUALIFICAÇÃO NA MIRA

Stepanov e Fucile devem regressar à titularidade no importante jogo de amanhã em Anfield Road para defrontar o Liverpool na penúltima jornada do grupo A da Champions League.

Em relação à última convocatória apenas a registar a saída de João Paulo e os regressos de Bolatti e do já mencionado central sérvio.

A equipa parece confiante e segundo as palavras de Quaresma também preparada para enfrentar sem medo o inferno que nos espera, na defesa do primeiro lugar que o FC Porto ocupa no seu grupo.

Tudo quanto esperamos é um Porto concentrado, inteligente, personalizado, eficaz e ganhador.
Matéria prima não falta. Vamos mais uma vez prestigiar o futebol português.

Força FC Porto!