sábado, 29 de agosto de 2009

VITÓRIA JUSTA NUM JOGO FÁCIL

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

Num jogo que Jesualdo à partida considerou de dificuldade máxima, a atitude da equipa do FC Porto transformou-o em tranquilo, construindo uma vitória justa e concludente.

Com uma entrada à campeão, os Dragões cedo chegaram ao golo por Falcao, que aos 8' concretizou com facilidade numa assistência de Mariano Gonzalez. A bola começou por ser cruzada da esquerda por Silvestre Varela, Mariano recolheu na direita, beneficiando de um falhanço do defesa da Naval, colocou a bola no colombiano posicionado frontalmente à entrada da pequena área que com uma pequena rotação rematou sem remissão.

Falcao ainda dispôs de uma oportunidade soberana para dilatar o marcador mas não foi feliz no remate. Foram cerca de vinte minutos de futebol atacante, de domínio e controle. Depois, até ao final da primeira parte o FC Porto retraíu-se e experimentou algumas dificuldades que poderiam ter custado alguns dissabores.

No segundo tempo o FC Porto voltou a ter ascendente, marcou o segundo golo por Varela, sofreu um auto-golo por Rolando mas Farías que havia entrado para o lugar de Falcao acabou com as dúvidas, fixando o resultado final.

Destaque pela positiva para Varela, o melhor elemento em campo. Esteve na jogada do primeiro golo, apoquentou a defensiva contrária e ainda marcou um belo golo. Também para Cristian Rodríguez que paulativamente vai recuperando o ritmo e em breve estará de volta à boa forma, se a nova chamada à selecção não voltar a fazer mossa.

Pela negativa a intranquilidade de Helton que andou às aranhas em duas ocasiões, redimindo-se depois com uma defesa a pontapé a evitar o 1-1.





4 comentários:

qvale4 disse...

muy buen blog !!! saludos desde argentina.

Vitor Daniel disse...

Foi mais um bom jogo, sem grande exibição mas mais uma vez metemos 3golos, e mais uma vez com a autoria de Falcao e Farias.
O resultado de 3-1 até poderia dar para o torto pois na primeira parte, depois do 1º golo poderiamos perfeitamente ter sofrido o golo do empate e as coisas darem para o torto, não fossem os defesas do F.C.Porto a salvarem as asneiras de Helton, de resto dominamos a partida e o mais importante, conseguimos os 3 pontos.

Um abraço, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt/

dragao vila pouca disse...

Se na semana passada gostei, ontem não gostei nada...ou melhor, gostei dos primeiros dez minutos, gostei do Varela e de alguns lampejos, na segunda-parte. No entanto e ao contrário do jogo frente ao Nacional, estavam reunidas as condições para fazermos um bom jogo: marcamos cedo, dominavamos, controlavamos a partida e jogavamos bem, só que, depois do 1-0, relaxamos, baixamos o ritmo, deixamos de jogar e a Naval cresceu, acreditou e não merecia ter ido para o intervalo a perder. Na segunda-parte, principalmente, depois da saída de Mariano, aconteceram os tais lampejos, fizemos o 2-0, controlamos, mas sofremos um golo que não estava nos planos. Valeu o 3-1 logo a seguir, para não termos sofrimento até ao fim.

Depois do que se viu ontem, podemos concluir, que a boa exibição frente ao Nacional, durante praticamente todo o tempo, só aconteceu porque o golo tardou e tivemos de fazer pela vida?
Se o golo frente aos insulares tem entrado mais cedo, ou se o Nacional não ficasse reduzido a nove jogadores, iamos ter a mesma atitude de recuar e deixar de jogar, à espera dos contra -ataques - perdão, das transições rápidas?

Não entendo, sinceramente...
Pensei que já estava mentalizado para este futebol, mas o jogo de ontem mostrou-me que não estou.

Um abraço

Jorge disse...

O jogo é mais facilmente descrito com uma onomatopeia: zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.
Bons primeiros 15/20 minutos e depois de algumas displicências Heltonianas (e não só) e o proverbial auto-golo, acabou por ser uma vitória fácil, como deveriam ser todas as vitórias frente a equipas como a Naval 1º Maio, claramente abaixo de qualquer nível de exigência para o primeiro campeonato de Portugal.