sexta-feira, 22 de junho de 2007

OS DIFERENTES SONS DO “TAL” APITO

São variados os sons que podemos tirar de um instrumento musical ou mesmo de um vulgar Apito. Tal variedade está directamente ligada à destreza do músico, ou no caso, do “apitador”.

Há os que apenas conseguem reproduzir o assobio ou silvo mas há também os que produzem grandes concertos com o “tal” Apito.

Como nos instrumentos nobres, os sons produzidos pelo Apito podem ser agudos, graves ou simplesmente…abafados!

Vem isto a propósito das grandes serenatas que de há uns três anos a esta parte o MP tem realizado, patrocinados pelos “Pasquins amestrados” e pela “CS subserviente”, que parece terem descoberto o filão da captação de vendas e audiências.

Os sons agudos e graves correspondem a tudo o que alegadamente envolve os clubes a norte do rio Liz, os sons abafados o que alegadamente envolve os clubes a sul desse rio.

Depois de analisados e arquivados alguns processos (os dos primeiros sons) os “figurões” que alegadamente protagonizaram os sons da última espécie (os abafados) saíram a terreiro, servindo-se dos Pasquins amestrados e da CS subserviente, a clamar por justiça! Pasme-se, justiça!...Desenvolvendo as suas influências no sentido de alterar o rumo dos acontecimentos.

Para que a estabilidade deste cantinho à beira mar plantado não fosse gravemente afectado, o (des)Governo descobriu a fórmula mágica na pessoa de uma adjunta que plantou no MP com a atribuição principal de “descobrir” e reabrir os sons agudos e graves do “tal” Apito, desprezando e ignorando os sons já de si abafados.

Numa entrevista à RTP 1 o próprio PGR não teve pejo em afirmar que o intuito era esse: Condenar VL e PC! Assim mesmo!

Abafados continuam os sons que relatam os casos das escutas ao LFV a pedir certo árbitro para um jogo da taça; da "beijoca" do Veiga para o major; dos encontros no Restaurante "O Sapo" entre Veiga e o árbitro assistente Devesa Neto, quando ainda no activo; do jogo Estoril-Benfica no Algarve e todos os antecedentes; da entrevista dada por Jorge Coroado onde fala de apitos dourados oferecidos pelos clubes do regime e os conhecidos mais recentemente e divulgados envergonhadamente pelo CM que os blogs “Sou Portista Com Muito Orgulho” e “Bicampeões do Mundo”nos deram a conhecer.

Chama-se a isto descaramento, falta de rigor e isenção, desrespeito pelos contribuintes que pagam os seus impostos e têm direito a ver a justiça funcionar sem facciosismo, proteccionismo mas também sem movimentos selectivos e persecutórios.

Cabe ao MP representar o Estado, defender os interesses que a lei determinar, participar na execução da política criminal definida pelos órgãos de soberania, exercer a acção penal orientada pelo princípio da legalidade e defender a legalidade democrática, nos termos da Constituição, do presente estatuto e da lei.

Não é com um olho aparentemente aberto e outro aparentemente fechado que cumpre a sua missão.

Sr. PGR e Adjunta, como cidadão e contribuinte exigo critério, isenção e justiça. Só assim defenderão a lei!

Um comentário: