terça-feira, 12 de junho de 2007

SIMPLY THE BEST


Vítor Manuel Martins Baía, imortalizado para o futebol por Vítor Baía, vai amanhã dar uma conferência de Imprensa conjunta com Pinto da Costa onde anunciará
o seu futuro, que se prevê de ligação ao seu clube do coração, noutras funções, anunciando a sua retirada de actividade como atleta.

Baía merece de todos os desportistas em geral e dos portistas em particular toda a admiração pela carreira exemplar que construiu, à custa da sua humildade, personalidade, espírito de sacrifício, entrega e sobretudo talento.

Nascido no concelho de Vila Nova de Gaia, Baía começou a jogar futebol no Académico de Leça. Aos treze anos mudou-se para o FC Porto, onde passou a maior parte da sua carreira. Aos dezoito anos foi pela primeira vez chamado à equipa principal por Quinito, num jogo contra o Vitória de Guimarães em Setembro de 1988, jogo disputado na cidade berço com resultado final de 1-1.

Chegou à baliza da selecção portuguesa com 21 anos. Estreou-se no dia 19 de Dezembro de 1990, num jogo frente aos Estados Unidos, iniciando aí uma década em que a camisola nº1 de Portugal lhe pertenceu quase em exclusivo.

Ao serviço do clube portuense ganhou cinco campeonatos nacionais e duas taças de Portugal, sofrendo 116 golos em sete épocas (uma média de apenas 16,5 golos sofridos por ano).Esteve presente com a selecção portuguesa no campeonato europeu de 1996, em Inglaterra, após o qual se transferiu para o FC Barcelona, de Espanha, transformando-se no mais caro guarda-redes do mundo.

Depois de uma boa primeira época ao serviço do clube espanhol, Vítor Baía sofreu uma lesão, em Agosto de 1997, e o técnico holandês Louis Van Gaal retirou-o da primeira equipa, preferindo o seu compatriota Ruud Hesp. Em Janeiro de 1999, após vários meses sem jogar no Barcelona, Baía, ainda como jogador do Barcelona, regressou ao FC Porto para relançar a sua carreira.

Em 2000 integrou a equipa da selecção nacional para o Campeonato Europeu de Futebol onde esteve em bom plano ao defender uma grande penalidade nos quartos-de-final de Arif da selecção da Turquia, mas não tendo hipóteses na grande penalidade apontada por Zinedine Zidane que iria eliminar Portugal nas meias-finais.

No ano seguinte, uma lesão no joelho afastou-o dos relvados durante praticamente uma época, o que levou a que muitas pessoas pensassem que iria acabar a carreira.

Contudo, Baía voltou ao seu melhor, recuperando a tempo de representar Portugal no Copa do Mundo de 2002, na Coreia do Sul e Japão. Nessa competição, Baía foi titular, quando se esperava que fosse Ricardo guardião do Boavista
a defender as redes da selecção, pois este tinha sido titular nos últimos cinco jogos da fase de apuramento (nos primeiros cinco o titular havia sido Quim)
.

Quando Luiz Felipe Scolari foi nomeado seleccionador nacional, Baía nunca mais defendeu as cores de Portugal. Todavia, ao serviço do FC Porto, manteve sempre a titularidade, excepto num pequeno período em que se desentendeu com José Mourinho.

Em 2003, Vítor Baía foi o guarda-redes titular do FC Porto na final da Taça UEFA, em Sevilha (Espanha), que a equipa portuguesa venceu por 3-2, após prolongamento ao Celtic de Glasgow e no ano seguinte foi também titular na final da Liga dos Campeões, em Gelsenkirchen (Alemanha), em que o FC Porto ganhou 3-0 ao AS Monaco, tendo mesmo sido considerado o melhor guarda-redes europeu de 2004, pela UEFA.

Viria a perder a titularidade no final de 2005, quando o treinador holandês Co Adriaanse considerou que Helton seria melhor opção. Hoje, aos 37 anos, é o guarda-redes suplente do FC Porto e um dos jogadores mais influentes no balneário portista.

Vítor Baía é o jogador de futebol com mais títulos a nível mundial, já conquistou 32. Pelé e Rijkaard contam com 25 cada um.

CURIOSIDADES:

  • É o detentor do 5º melhor registo de imbatibilidade de sempre da Federação Internacional de História e Estatística do Futebol.
  • Foi o 1º jogador português a atingir as 75 internacionalizações (16 de Agosto de 2000).
  • Em 2004, obtém o record de 1192 minutos sem sofrer golos no Campeonato Nacional.
  • Conquistou 10 campeonatos nacionais de seniores.
  • É-lhe atribuída a designação de futebolista com mais títulos, na história do futebol mundial, alcançados na sua (longa) carreira: 32. Pelé e Riijkard são os que se seguem com 25 títulos.
  • Na cápsula do tempo enterrada pela UEFA aquando do seu jubileu de ouro em 2004, foi colocado um par de luvas de Vítor Baía.
  • Tem uma fundação em seu nome: a Fundação Vítor Baía 99. 99 é o número que ostenta nas costas desde que voltou ao FC Porto.
  • Em 11 de Novembro de 2005 lançou a sua autobiografia.
DADOS DA CARREIRA:
  • 1988 - 1997 - FC Porto
  • 1997 - 1999 - FC Barcelona
  • 1999 - presente - FC Porto
  • Estreia no Campeonato Nacional
    • 11/09/89: V.Guimarães 1 - 1 FC Porto
  • Estreia nas Competições Europeias
    • 13/09/89: FC Porto 2 - 0 Flacari Moreini
  • Estreia na Selecção Nacional
  • 19/12/90: Portugal 1 - 0 EUA
PALMARÉS:
10 Campeonatos Nacionais (Portugal): época 89/90, 91/92, 92/93, 94/95, 95/96, 98/99, 02/03, 03/04, 05/06 e 06/07
  • 5 Taças de Portugal (Portugal): 90/91, 93/94, 99/2000, 02/03 e 05/06

  • 8 Supertaças Cândido de Oliveira (Portugal): 90/91, 91/92, 93/94, 94/95, 99/00, 02/03, 03/04, 05/06

  • 2 Taça do Rei (Espanha): 96/97 e 97/98
  • 1 Liga (Espanha): 97/98
  • 1 Supertaça de Espanha: 97/98

  • 1 Taça das Taças (UEFA): 96/97
  • 1 Supertaça Europeia (UEFA): 97/98
  • 1 Taça UEFA (UEFA): 02/03
  • 1 Liga dos Campeões (UEFA): 03/04
  • 1 Taça Intercontinental (FIFA): 04/05
Por tudo o que deu ao futebol, ao FC Porto e ao país o meu muito obrigado.


Aguardo com ansiedade um jogo de despedida com estrelas mundiais para homenagear o campeão dos campeões!

Fontes bibliográficas: Wikipédia e Revista Dragões

2 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Como previ há muito tempo
(está escrito e ainda acho que ,no final , vou ter razão ) o Sr VITOR BAÍA começou a sua preparação.

Aprendendo (passo a passo) , adquirindo novas competências ,
ganhando experiência , chegará , naturalmente , à liderança do nosso CLUBE.

Mais uma vez , O GRANDE PRESIDENTE (General de todas as cruzadas)demonstra que está em grande forma , que sabe ler o "jogo" e , por isso , faz a aposta certa !

14 Junho, 2007

Anônimo disse...

Palavras para quê ?
kel