terça-feira, 15 de setembro de 2009

MALDITA TRADIÇÃO

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

Ainda não foi desta vez que o FC Porto matou o borrego, nas suas deslocações a Inglaterra.

Numa noite muito chuvosa, a primeira grande surpresa foi a inclusão do médio colombiano Fredy Guarín no onze titular dos Dragões, ele que não fizera ainda qualquer minuto em jogos oficiais, em detrimento de Fernando Belluschi . A segunda grande surpresa, para mim, foi a sua excelente exibição. Meia surpresa... ou talvez um quarto de surpresa foi a escolha de Mariano Gonzalez.

Confesso que ao ver o escalonamento da equipa, o primeiro pensamento foi de condenação e a sensação de que o Professor voltava às suas invenções, complicando aquilo que parecia fácil. A sensação de mensagens negativas à equipa, de medo, de retracção e de pouca ambição.

Felizmente tais preocupações ficaram rapidamente dissipadas com a performance que a equipa exibiu praticamente durante todo o jogo. Apresentando um futebol personalizado, consciente, desinibido, ainda que com maior pendor defensivo, o FC Porto jogou taco a taco, olhos nos olhos, perante um adversário de muito bom nível apesar de desfalcado de unidades importantes (Bosingwa, Deco e Drogba). A partida acabaria por ser decidida nos detalhes. A menor eficácia do FC Porto acabou por ditar uma derrota algo imerecida.

Em alta competição não se podem cometer as falhas que os azuis e brancos teimam em repetir. Muitos passes para os adversários em locais proíbidos, alguma ingenuidade no sector mais adiantado e muita ineficácia. Apesar disto a equipa apresentou também momentos muito agradáveis, sinal que tais defeitos podem ser corrigidos com trabalho específico.

Helton, Álvaro Pereira, Guarín e Silvestre Varela (nos minutos que lhe foram dados) frubricaram as melhores exibições portistas.

8 comentários:

Anônimo disse...

A inclusão de Guarin foi muito bem pensada e um sucesso. Outro tanto não se pode dizer de Mariano acerca de quem corroboro a opinião de Rui Anjos: não tem qualidade para ser titular e, mais uma vez, demonstrou-o.
Helton, Guarin, A. Pereira, Raul Meireles (enquanto teve pernas) e Varela (infelizmente com poucos minutos) foram os melhores. Hulk deve, preferencialmente, jogar encostado à direita. Não quer dizer que não possa vir à esquerda, quando for oportuno e desequilibrar nesse lado, mas o seu lugar é na ala direita. Talvez por isso, não gostei do jogo do "Incrível".
Uma nota, pouco usual, para o árbitro: já noutras ocasiões apreciei as qualidades técnicas deste árbitro. À parte um ou outro erro (o mais grave: o primeiro amarelo – exagero! – a Fernando) não lhe escapa nada e tem o discernimento de distinguir entre falta e jogada viril sem maldade. Um bom árbitro ao nível de duas grandes equipas.

Fernando Moreira – V. Real

dragao vila pouca disse...

Ser exigente é o meu lema, mas ser exigente com os pés no chão tendo a noção da realidade. O Chelsea é melhor que o F.C.Porto, tem melhor equipa, melhores jogadores, jogava em casa e tem um andamento, que a liguinha portuguesa não dá à nossa equipa. Mesmo com tudo isso fizemos um bom jogo, com a excepção daqueles 15 minutos iniciais da segunda-parte e podiamos ter empatado que ninguém diria que foi injusto. Guarín foi uma supresa, mas o que conta é que fez um grande jogo e deu razão ao treinador por o ter colocado a jogar. Se alguma critica deve ser feita ao Jesualdo, é não ter tirado Mariano, mesmo que as coisas em termos de resultado, não estivessem a correr mal. Foi na transição para o ataque que falhou e aí, muito por culpa do argentino, que trapalhão, nunca aproveitou as possibilidades que o meio-campo e os laterais ingleses deram. Falhou também Hulk, de quem se esperava muito mais.
Muito bem Helton e muito bem Guarín.
Gostei e fiquei com a certeza, que se o espírito for sempre aquele, vamos ter mais uma época de glória.

Um abraço

ninja disse...

Excelente jogo, apesar da derrota. Smos filhos de um deus Menor quando vamos a Inglaterra. Merecíamos mais, mas a sorte não esteve connosco. Gostei muito do Guarín e do Helton, mas também do Varele e do Pereira.

Temos equipa para grandes voos.

Abraços

fimoze disse...

Visito o blogue pela primeira vê e fico agradavelmente surpreendido com a qualidade do mesmo. Quanto ao jogo de ontem subscrevo na íntegra o comentário que depositou no blog Bibo-porto-carago, que tem sido o meu casulo preferido. Irei passando por cá se tal for aceite.
A virose azul e branca atacou-me a uns anos largos, mas agora está a tornar-se cada vez mais crónica nas minhas acções de lazer.

Ricardo de Sousa disse...

Com um pouco de sorte poderíamos ter um final mais justo e condizente com o desenrolar da partida.
O Carvaho e o Cheh não ajudaram nada a essa pontinha de sorte que nos faltou.

Abraço

Dragaopentacampeao disse...

Amigo Fimoze, agradeço a sua visita e as suas amáveis palavras.

Será sempre bem vindo quem vier por bem, muito mais sendo um portista que se diz atacado pelas cores azuis e brancas do n/Clube.

Não, não é virose. É paixão!

Um abraço

fimoze disse...

Desculpe mas insisto em chamar-lhe virose e da “braba”, pois se por um acaso não nos é fornecida semanalmente a nossa dose de uma vitória, temos crises violentas de mau humor. Reconheço no entanto que essa virose também pode ser chamada de paixão, pois os sintomas e a terapêutica são as mesmas.
Cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém, mas esteja sossegado quanto a verdade da minha virose pois ela é igual a sua paixão, talvez até seja mais antiga, basta confirmar no m/perfil.

Dragaopentacampeao disse...

Ok fimoze, pois que seja. Quem sou eu para contestar?

Vejo sempre o perfil dos meus visitantes. É um prazer ter neste espaço a sabedoria da experiência.

Obrigado e um abraço