quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PARADA DE ESTRELAS

CARLOS DUARTE nascido em Nova Lisboa - Angola, representou o FC Porto durante onze épocas (1952/53 a 1963/64).

Extremo-direito muito veloz, senhor de um drible estonteante e de remate fácil e certeiro, marcou 69 golos em 172 jogos do campeonato. Fazia uma asa terrível com Hernâni.

Venceu dois campeonatos nacionais, o primeiro com Yustrich em 1955/56, o segundo com Bela Guttman em 1958/59. A estes títulos juntou as vitórias na Taça de Portugal, 1955/56 e 1957/58.

Representou a Selecção Nacional apenas por sete vezes. Estreou-se a 7 de Maio de 1958 no Estádio de Wembley, frente à congénere inglesa, com derrota por 2-1, mas fizera um brilharete. ao marcar o golo português.

Pouco tempo depois, a 11 de Agosto de 1958, o AC Milan cobiçou-o oferecendo 600 contos para a sua transferência com um contrato de 3 anos. O FC Porto recusou a oferta.


A 3 de Setembro de 1959 é gravemente ferido num dos joelhos , num Espanhol de Barcelona-FC Porto. Operado pelo famoso médico Dr. Ricardo Calot, em Barcelona, Carlos Duarte voltaria aos relvados, mas em 1962 pôs termo à sua carreira, a carreira de um dos mais elegantes extremos direitos do Futebol a nível mundial.


Em 2003 recebeu do Clube um “Dragão de Ouro” simbolizando a “Recordação do Ano”, naquilo que foi uma justíssima homenagem.

Fontes: Livro de Ouro, do Diário de Notícias; Figuras & Factos, de J.Tamagnini Barbosa e Manuel Dias

6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Foi um grande jogador um extremo à moda antiga, rápido e objectivo. Pelo menos é o que dizem, que eu nunca o vi jogar.
Nas Antas e antes de haver o Centro de Estágio, cheguei a falar com ele várias vezes pois ele aparecia por lá. Com o Dragão perdi-lhe o rasto o que é pena pois ouvi-lo falar dos velhos tempos era óptimo.

Um abraço

Ricardo de Sousa disse...

Pentacampeao, o Hermano Saraiva do nosso FC PORTO.

É de facto muito bom recordar estes grandes jogadores que fizeram a história do FC PORTO.
Continue. Bom trabalho.

Abraço

AZUL DRAGÃO disse...

Vi-o jogar !
Era um verdadeiro craque !


Abraço

Anônimo disse...

Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009
O Benfica-Sporting de domingo


Quando li um comentador de peso a comparar o duelo Sócrates/Ferreira Leite a um Benfica-Sporting, pensei logo: olha mais um que parou no tempo da Outra Senhora, em que os dois clubes de Lisboa alternavam os títulos à razão de três para os da Luz, um para os de Alvalade.

Mas depois do debate, dei por mim a pensar que a comparação afinal não era tão esfarrapada, e que o seu autor acertara, se calhar da mesma maneira involuntária que o relógio parado dá a hora certa duas vezes por dia. As palavras Porto, Norte e Regionalização não foram pronunciadas na única vez em que os dois candidatos a primeiro ministro estiveram frente a frente na televisão a disputarem os votos dos indecisos.

A bondade do TGV para Madrid foi esmiuçada, mas não se ouviu um pio sequer a propósito da linha Lisboa-Porto-Vigo, apesar dos estudos da firma britânica Steer Davies Gleave garantirem que ela não é só é viável mas também geradora de um benefício líquido superior a cinco mil milhões de euros. Na troca de argumentos desencadeada pela retórica retro anti-espanhola de Ferreira Leite, a única referência à linha para o Porto saiu da boca do ministro espanhol.

No Norte, o céu está mais carregado de nuvens do que no resto do país. Vivem aqui um milhão de pobres. Mais 300 mil que há três anos. A segunda região que mais contribui para a riqueza do país é mais pobre de Portugal – e uma das 30 mais pobres da Europa, ao lado de regiões romenas e búlgaras.

Apesar disso, nenhum dos candidatos achou que valia a pena desperdiçar o precioso tempo de antena do seu Benfica-Sporting televisivo a explicar como planeia combater a bolsa nortenha de pobreza e redistribuir de forma solidária a riqueza por todo o país.

Como portista e nortenho, olho para todos os Benfica-Sporting sem paixão, mas com interesses – prefiro sempre que perca o que ameaça mais perto a liderança do FC-Porto.

No Benfica-Sporting que se vai jogar no domingo é do interesse do Norte que perca quem se pronunciou contra a Regionalização e o TGV – e acha que “é preciso parar tudo porque não há dinheiro”, mas não incluiu nesse tudo o investimento de 2,5 mil milhões de euros na expansão do Metro de Lisboa nem a ruinosa compra de submarinos que nos fazem tanta falta como uma dor de dentes.

No Benfica-Sporting de domingo, o mal menor é que perca quem tem a mentalidade do espanhol dono de um cavalo que morreu após 15 dias de jejum forçado e se lamentou: “logo agora que ele se tinha habituado a viver sem comer é que morreu”. Domingo, é preciso evitar que ganhe a velha política do “pobretes mas alegretes”, que tem tanta possibilidade de ter sucesso como uma bailarina com uma perna de pau.

Jorge Fiel
Blogue Bussola
Esta crónica foi hoje publicada no Diário de Notícias
----

Pelas razões expostas acima já vale a pena votar.

Anônimo disse...

Aqui, da província e com as outras províncias

O ruído assustador de alguma Imprensa que despreza a existência de outras cores no arco-íris está a funcionar da forma esperada pelos seus estrategas junto dos órgãos de deliberação e e decisão do futebol profissional. Mas com o empenho e a raça de sempre, a coisa há-de voltar ao sítio. E a poluição informativa travestida de jornalismo voltará ao que tem sido: um chorrilho de lamentos.

Rock Santeiro

Anônimo disse...

Já que este blog num comentário descambou para a política, tenho a dizer que quem foi prejudicado na reforma, pensão, nunca pode votar no freeport... E não foi esse senhor falso engernheiro, que, apesar do Rio ser de outro partido, esteve de acordo no caso da luta contra o estádio do Dragão?