quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

PARADA DE ESTRELAS

TEÓFILO CUBILLAS nasceu no dia 8 de Março de 1949 na cidade de Lima, no Peru. Foi uma das estrelas máximas do futebol peruano da década de 70 e um dos melhores futebolistas sul-americanos de todos os tempos.


Iniciou a sua carreira no Alianza de Lima. Com apenas 16 anos teve a sua estreia na equipa principal e logo no ano seguinte, em 1966, foi o melhor marcador do campeonato com um registo de 19 golos. Repetiu o feito em 1970 ao apontar 22 golos.

Em 1972 foi eleito o melhor jogador sul-americano relegando para o segundo lugar Pelé. Nesse mesmo ano foi o marcador máximo da Taça dos Libertadores e na época seguinte foi contratado pelo FC Basel da Suiça onde apenas permaneceu seis meses, o bastante para se sagrar campeão.

Na temporada de 1973/74 transferiu-se para o FC Porto onde durante três épocas foi o dono da camisola número 10, apontando 65 golos em 108 jogos oficiais. Para o contratar foi feito um esforço financeiro tremendo. Os sócios foram chamados a comparticipar para pagar a transferência deste peruano e até os jogadores do Clube tiveram de vender «rifas» para angariar fundos que permitissem ter na equipa tão talentoso jogador.

Era um número 10 inconfundível. Elegante, com imenso suplesss, jogava de cabeça levantada, punha a bola onde queria, defendia, atacava, marcava golos e era genial a forma como ultrapassava os adversários. Com ele tudo parecia mais fácil.

Apesar de não ter conquistado nenhum título na sua passagem pelos azuis e brancos, foi o autor de grandes golos que ainda hoje são recordados pelos adeptos que tiveram o privilégio de o verem jogar e que o consideram o melhor jogador estrangeiro que passou por Portugal. É com imenso orgulho que posso dizer: «Eu vi jogar Cubillas!».


Curiosamente o FC Porto viria a vencer a Taça de Portugal na época em que Cubillas deixou os Dragões, em 1976/1977.

O peruano também brilhou com a camisola da sua Selecção. Em 1970 o Peru qualificou-se para o Campeonato do Mundo realizado no México, depois de ter eliminado a Argentina que fazia parte do seu Grupo. Nesse Mundial, o Peru chegou aos quartos-de-final onde foi eliminado pelo Brasil, por 4-2 com os golos peruanos a serem apontados por Cubillas. O Mundial de 1974 disputou-se sem a presença de Selecção peruana que não conseguiu a qualificação, mas venceu no ano seguinte a Copa América. Em 1978 o Campeonato do Mundo teve lugar na Argentina e depois de na primeira fase o Peru ter ficado em primeiro lugar, com Cubillas a apontar 3 golos, não foram além da segunda fase. O último Mundial em que participou foi no ano de 1982 em Espanha, mas a Selecção peruana ficou em último lugar no grupo.

3 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Meu Amigo :

...«Eu vi jogar Cubillas!».

E eu também !
E digo-te :

- Para mim , foi o melhor jogador que alguma vez vi jogar !

Um abraço

PS: Estávamos a perder 2-0 na Luz , ao intervalo .
O Cubillas na 2ª parte resolveu abrir o livro e deu a volta ao jogo .

SLB 2 x FCPORTO 3

Anônimo disse...

Eu também "vi jogar Cubillas"! Sinto o privilégio de o ter conseguido fazer. Era uma delícia vê-lo de bola nos pés. Que maravilha! Único, insuperável, majestoso, de uma elegância inigualável. Foi, para mim e muitos portistas, o melhor jogador estrangeiro e um dos melhores jogadores de sempre do F.C. Porto!
Que saudades...
Fernando Moreira

dragao vila pouca disse...

Cubillas era um craque que apenas teve o azar de chegar ao Porto numa altura que não ganhavamos nada e ter saído do Porto quando começamos a ganhar. Era, de facto, um grande jogador que eu também vi jogar e marcar um dos melhores golos que vi, nas Antas frente ao Boavista, na altura treinado pelo Pedroto, que ao perder esse jogo disse definitivamente adeus ao título.

Mas não foi o melhor estrangeiro que vi jogar, porque esse, meus caros, foi o Rabat Madjer.

Um abraço