quarta-feira, 19 de novembro de 2008

HERMANN STESSL

O Verão quente de de 1980 já foi aqui aflorado na rubrica Baú de Memórias. Hoje decidi recordar uma personalidade que foi "apanhada" no meio de um verdadeiro imbróglio, o treinador austríaco Hermann Stessl.

Foi o treinador escolhido para preencher o lugar do "Mestre" que havia renunciado ao cargo em função da falta de solidariedade do Presidente Dr. Américo de Sá.

No dia da sua apresentação, 14 jogadores recusaram-se à formalidade. Os dissidentes, entre os quais Oliveira, Fernando Gomes, Octávio, Sousa, Teixeira, Quinito e Lima Pereira, treinaram-se à parte em Santa Cruz do Bispo, por conta própria. Os outros seguiram para o estágio em Leiria com o novo treinador.

Nesse período quente, estalaram novos episódios. Foram anunciados processos laborais, cruzaram-se acusações, Teixeira foi suspenso, Octávio viu o seu contrato não ser renovado, Oliveira só ficaria com Pedroto e Pinto da Costa, abalando para o Penafiel como treinador-jogador, Fernando Gomes, há muito pretendido pelo Gijon, abala também, com um contrato de mais de 40 milhões de pesetas, que possibilitou ao FC Porto arrecadar 30 milhões e Pedroto fixou-se em Guimarães levando consigo Artur Jorge como adjunto.

Entretanto Stessl, tranquilo no meio da tempestade recebe nas Antas o Manchester City para inauguração da pré-temporada, com o qual empata a zero, utilizando cinco júniores.

Agosto foi o mês da reconciliação da maioria dos dissidentes que integraram a comitiva que se deslocou à Corunha para participar no Torneio Teresa Herrera. O FC Porto perdeu com o Real Madrid por 2-1 e venceu o Flamengo por 4-1.

Na foto da esquerda para a direita, em cima: Gabriel, Teixeira, Walsh, Freitas, Simões, Rodolfo e Fonseca; Em baixo: Duda, Frasco, Albertino e Sousa.

Afável e simples Hermann Stessl deambulava nas Antas com o objectivo primeiro de unir a equipa e trabalhar para altos voos.

O Campeonato Nacional da época 1980/1981 começou nos finais de Agosto com o FC Porto a ir bater o Sporting em Alvalade por 1-2. Terminou no 2º lugar a dois pontos do Benfica treinado pelo húngaro Lajos Baroti e com uma vantagem de 11 pontos para o Sporting, 3º classificado.

Foi finalista da Taça de Portugal com o Benfica com o qual perderia por 3-1.

Tendo em conta a turbulência inicial, o FC Porto conseguiu uma época positiva, só ao alcance de um grande clube, com fortes alicerces e forte determinação.

Com a eleição de Pinto da Costa no final dessa época tornou-se mais que claro que Stessl não teria futuro no Clube, apesar da conquista da Supertaça disputada em duas mãos contra o Benfica, com vitória clara nas Antas por 4-0, pois o treinador do Presidente era obviamente o "Mestre" José Maria Pedroto.

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Meu caro, atendendo às circunstâncias, H.Stessl até fez um bom trabalho.
Foi com ele que começaram a jogar regularmente, o J.Pinto o J.Magalhães e um jovem, Coelho, que jogou pouco no F.C.Porto, também fez uma carreira engraçada.
Ganhou como dizes a Supertaça, mas acho que o resultado nas Antas foi 4-1 e não 4-0.
Fez o último jogo no Bessa com o F.C.Porto a ganhar ao Boavista por 6-0.
Um abraço

Rogério Paulo Almeida disse...

O último jogo de Stessl não terá sido o Porto - Sporting da última jornada desse campeonato de 1981/82 em que vencemos por 2-0 (golos de Jacques e Júlio)?

Um abraço