domingo, 10 de janeiro de 2010

SOFRER, OUTRA VEZ!

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

Esta equipa do FC Porto bem como o seu treinador, só podem ter espírito masoquista!

Depois de ter entrado bem na partida, conseguir um golo no primeiro quarto de hora, de estar a dominar o adversário, decidiu oferecer o empate com um frango de Helton!

Já na parte final do encontro, depois de se colocar novamente em vantagem no marcador, após a substituição de Miguel Lopes por Farías, tornando o ataque mais dinâmico, viu o adversário ficar reduzido a dez unidades e em vez de manter intenso o ataque para consolidar a vitória, o treinador Jesualdo Ferreira preferiu voltar ao esquema inicial, retirando Falcao e Belluschi, para as entradas de Mariano e Tomás Costa, recuando no terreno para defender a vantagem.

As consequências do medo do Professor só não resultaram em fracasso porque Helton se redimiu ao defender, nos últimos minutos do tempo de compensação, uma grande penalidade cometida inexplicavelmente por Fernando.


A primeira surpresa aconteceu com a presença de Miguel Lopes, que nem estava convocado, no lugar de Fucile, ao que parece vítima de uma indisposição. Depois foi um início de jogo tranquilo, agradável, com boa circulação de bola e transições rápidas, aqui e ali sublinhado por bons desempenhos técnicos, quer de Belluschi, quer de Varela, até mesmo de Falcao, hoje mais desinibido e com engodo pela baliza. O colombiano chegou mesmo cedo ao golo, bem invalidado por ter sido apanhado no limite do fora de jogo e repetiria a dose poucos minutos depois numa recarga plena de oportunidade.

O jogo estava com tudo para se tornar num passeio, mas Helton «borrou» a escrita ao consentir o empate, num livre de Ronny para a entrada da área onde surgiu o defesa Diego Gaúcho a cabecear, beneficiando primeiro da indecisão do guarda-redes portista, sem saber se sair ou não e depois do deficiente gesto técnico no contacto com a bola, permitindo que resvalasse para as redes.

Um golo contra a corrente do jogo, nada previsível e nada merecido face à incapacidade do ataque Leiriense. O FC Porto teve o condão de não esmorecer e partir de imediato à procura do golo que não tardou pela cabeça certeira de Bruno Alves, na sequência de um canto superiormente marcado por Raúl Meireles. Estava reposta a verdade do jogo aos 37 minutos com o Porto balanceado no ataque à procura da consolidação do resultado.

Tudo parecia bem encaminhado, quando, já no segundo tempo, Ronny aproveitando uma falha de marcação atirou com o seu pé canhão um remate, ainda desviado por Rodriguez que desta vez Helton não podia evitar. Novo balde de água fria, numa noite já de si molhada e gelada.

Jesualdo apostou forte. Tirou do jogo o lateral Miguel Lopes e introduziu o avançado Farías que veio dar outra dinâmica ao ataque. Quatro minutos após Falcao voltou a fazer vibrar as despidas bancadas do Dragão. Mais uma vez oportuno apareceu no tempo e no sítio certo para empurrar a bola depois de um remate de cabeça de Rolando que o guarda-redes leiriense não conseguiu afastar.

Quando aos 68' Elmano Santos, o árbitro madeirense, deu ordem de expulsão a Djuricic por pretensa defesa com as mãos fora da área, parecia que tudo estava finalmente decidido.

Foi então que o Professor decidiu complicar o que parecia fácil. Tirou do jogo Belluschi e Falcao para colocar Tomás Costa e Mariano Gonzalez, fazendo a equipa recuar no terreno e interromper o assédio à baliza contrária. Dir-se-ia temer novo revés da sorte, preferindo jogar pelo seguro já que o resultado lhe era favorável. As contas saíram-lhe furadas, muito por culpa, diga-se em abono da verdade, de Fernando, primeiro ao ver um ridículo mas justo amarelo e pouco depois ao provocar uma grande penalidade infantil, vendo de imediato um novo amarelo seguido do vermelho.

Este não foi um balde de água fria, foi mais uma pipa de gelo! Parecia-mos condenados a mais um resultado injusto.

Foi então o momento de Helton passar de vilão a herói, defendendo a grande penalidade, garantindo os três pontos e redimindo-se do frango sofrido.

Portista sofre!!!

O meu destaque vai para Falcão, o melhor homem em campo.





6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Trste sina a nossa...
Podiamos ter ganho tranquilamente, mas acabamos a ganhar na amarra e graças a um milagre de Helton. Será que esta equipa é masoquista e só sabe ganhar no sofrimento? Será que alguma vez vamos sair do Dragão com o coração a bater normalmente?
A exibição sem ser brilhante, teve virtudes: por exemplo, a reacção aos golos do empate do Leiria e os 5 golos limpos marcados, mas que lamentavelmente só valeram três e isso impediu a equipa de ter uma vantagem tranquila de dois golos. E defeitos: displicências que não se admitem, tremideiras que não se compreendem numa equipa tetracampeã.

Siga que este já está!
Prabens aos heróis que estiveram ontem no Dragão. É preciso gostar muito para aguentar tanto frio e tanto sofrimento.

Um abraço

AZUL DRAGÃO disse...

Meu caro :

De sofrimento em sofrimento até à
glória final !


Um abraço

Anônimo disse...

Vítor Pereira e o regador de gasolina
JORGE MAIA

Estou dividido. Não consigo saber exactamente se Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem, tem um apurado sentido de humor ou se não tem bom-senso. Há uma terceira hipótese, que me recuso considerar, que é a de que seja pirómano e goste de ver tudo a arder. E, no entanto, é impossível não considerar até as hipóteses mais rebuscadas quando se percebe que, no mesmo dia em que disse que a missão da CA é "garantir a imparcialidade e ser uma mais-valia para o futebol", Vítor Pereira tenha nomeado João Ferreira para o Académica-FC Porto de amanhã. Ora, para quem não sabe, e Vítor Pereira sabe de certeza absoluta, João Ferreira foi o quarto árbitro do jogo clássico entre o Benfica e o FC Porto e terá sido por indicação sua que Lucílio Baptista expulsou Hulk e Sapunaru na sequência dos acontecimentos no túnel da Luz, acontecimentos que são ainda objecto de processo disciplinar. Daí a minha dúvida: Quando Vítor Pereira diz que a missão da CA é "garantir a imparcialidade e ser uma mais-valia para o futebol" depois de nomear João Ferreira para o Académica-FC Porto está a demonstrar um apurado sentido de humor, ou uma total ausência de bom-senso? Sim, porque ninguém acredita que seja, pura e simplesmente, pirómano, pois não?
o jogo

Gaspar disse...

O resultado acaba por não ser o melhor, pois merecíamos uma maior diferença de golos, mas temos os três pontos, que é o que interessa!
Destaque para Helton, e Falcao que "bizou".

Gaspar

Anônimo disse...

João Pinto: «Nomeação de João Ferreira é uma insensatez»
ADJUNTO DE JESUALDO ESTRANHA ESCOLHA


Na sala de imprensa do Olival, a fazer a antevisão do jogo com a Académica, não esteve Jesualdo Ferreira mas sim João Pinto. E não foi só do encontro da Taça da Liga que se falou. O "caso do túnel" voltou a merecer comentários e a nomeação de João Ferreira para a partida de quarta-feira mereceu do adjunto portista a seguinte apreciação: "É uma insensatez".

João Pinto acredita que até ao fim da época se irão passar mais coisas estranhas . "A partir de agora cada jogo é uma final. O campeonato está mais renhido. Penso que vai haver coisas que as pessoas não querem que aconteçam. O que faremos é jogar futebol, o melhor possível, para conseguirmos o que desejamos, que é vencer os jogos", disse.

Quanto ao encontro com os estudantes referiu: "Depois dos resultados do FC Porto e Académica no primeiro jogo todos sabemos que quem vencer fica praticamente apurado. Partimos para este com vontade de ganhar".
record

Anônimo disse...

O MST escreveu sobre Hulk e Sapunaru e a CD, vale a pena ler.