domingo, 13 de janeiro de 2008

O TRI A VELOCIDADE DE CRUZEIRO!

Palco do jogo: Estádio do Dragão – Porto
Assistência: 40.089 espectadores
Competição: Bwin Liga – 16ª Jornada
Hora do jogo: 21:15h
FC Porto: Helton; Bosingwa, P. Emanuel, B. Alves e M. Cech; P. Assunção (Bolatti 85’), R. Meireles e Lucho G.; Adriano (Farias 81’), Lisandro L. (Mariano G. 83’) e Quaresma.
Suplentes não utilizados: Nuno, João Paulo, Fucile e Kazmierczak.
Árbitro: Pedro Proença – Lisboa
Marcadores: Lisandro (5’ e 82’), R. Meireles (18’) e Farias (91’)
Acção disciplinar: Cartão amarelo para P. Assunção (20’)

Foi positiva a resposta dos Dragões a um jogo previsivelmente difícil face à qualidade que se reconhece possuir o seu opositor desta noite. Apesar de ultimamente o conjunto azul e branco ter vindo a dar mostras de alguma intranquilidade e quiçá algum desgaste, a verdade é que nos momentos chave tem tido a capacidade de impor a sua maior capacidade técnica, cavando o fosso que o separa dos seus mais directos perseguidores.

Hoje foi assim mais uma vez. Jesualdo começou por surpreender com a escolha de Adriano em detrimento de Mariano Gonzalez para ocupar a vaga de Tarik.

O Porto, consciente do valor do seu adversário e apelando a uma normal concentração entrou bem no jogo logrando marcar logo aos 4’ por Lisandro Lopez, bem assistido por Bosingwa que do lado direito cruzou para a entrada decidida do argentino fulminar com êxito.

A abertura do marcador foi incentivo ainda maior para a procura do segundo que tardaria apenas 14’ já que aos 18’ Raúl Meireles surgiu desmarcado dentro da área acorrendo a cabecear um cruzamento bem medido de Lucho Gonzalez.

O Braga respondia como era possível, trocando bem a bola mas sem grande preponderância no último terço do rectângulo onde a defesa portista dava mostras de inteira segurança.

Na segunda parte o Porto baixou o ritmo de jogo, deu mais espaço ao adversário mantendo o controlo, procurando não correr riscos, mas aos 56’ Linz poderia ter reduzido o marcador ao aparecer em zona frontal que face à oposição de Helton atirou ao lado.

Aos 81’ o professor Jesualdo decidiu dar descanso a Adriano introduzindo para o seu lugar o argentino Farias que no minuto seguinte já dentro da área tocou para o seu compatriota Lisandro rematar mais uma vez com êxito fazendo subir o marcador para 3-0.

O Porto voltava a mandar e a comandar o jogo. Ouviam-se olés nas bancadas do Dragão.

Ainda entraram Bolatti e Mariano mas seria Farias a fazer os adeptos portistas vibrar com mais um golo.

Depois de assistir Lisandro para o 3º, Farias fez o gosto ao pé quando o cronómetro marcava o primeiro dos 4’ de compensação dados pelo árbitro.

Lucho Gonzalez interceptou uma reposição do guarda-redes bracarense, junto da entrada da área, tocou rapidamente para Farias que com um defensor à ilharga rematou forte e decidido fazendo balançar as redes.

Pouco depois o jogo atingiria o seu final com uma goleada frente a uma das melhores equipas deste campeonato.

A exibição foi positiva com destaques para Lucho, Meireles e Lisandro.

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Na liga Bwin foi a melhor exibição da era Jesualdo. Ficou provado que se pode juntar o útil ao agradável; jogar bem e ganhar!
Quando a equipa joga bem é mais fácil os novos aprecerem e mostraremn o valor que têm.Grande claque os super-dragões, sempre a apoiar.

Biqueiradas disse...

Tudo fácil, tudo simples.
Quem joga assim arrisca-se a fazer o que os adeptos querem,ganhar e jogar bem. É ou não conciliavel.
Um abraço

Paulo Pereira disse...

Sem dúvida, belo jogo. Concentração total, não permitindo veleidades a um adversário incómodo, jogando e dominando a seu bel-prazer. Excelente, como sempre, Lisandro, mortífero e letal, mas trabalhando como poucos para a equipa.

Este tri, jogando assim, arrisca-se a ser um passeio.

Abraço,