domingo, 1 de fevereiro de 2009

DE BELÉM A ESPERANÇA DO TETRA

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

O FC Porto deu hoje um importante passo para manter viva a ambição de coleccionar novo triunfo no Campeonato principal do futebol português.

A deslocação a Belém que se antevia difícil redundou num êxito em números que embora justos não traduzem as dificuldades por que passou.

Entrou melhor no jogo, patenteando vontade de procurar bem cedo os golos que lhe garantissem a confiança necessária para construir uma exibição sólida.

Fruto de um futebol rasgado e ofensivo, em dois minutos (21 e 22) concretizou, primeiro por Hulk a concluir um cruzamento da direita de Mariano Gonzalez e depois por Rodriguez que apareceu solto na cara do guarda-redes do Belenenses cabeceando para as malhas um cruzamento de Lucho Gonzalez.

Dispôs ainda de duas soberanas ocasiões, nos quatro minutos seguintes. A primeira, perdida infantilmente por Mariano e a segunda, na sequência de um belo remate em arco de Raúl Meireles que merecia melhor sorte. Teria sido o matar definitivo do jogo que lhe permitiria controlar e gerir o esforço até ao apito final (salvo seja).

Não o conseguindo acabou por se expor às vicissitudes de que o futebol é fertil. O Belenenses aos poucos apareceu mais atrevido e numa jogada bem delineada acabou por ser feliz com um auto-golo de Rolando, estavam decorridos 35'. A turma do Restelo cresceu e empurrou o Porto para o seu meio campo, obrigando-o a trabalho mais exigente.

Na segunda metade,, o jogo foi mais dividido, mais mal jogado, por isso mais feio e desinteressante. O Porto defendeu quase sempre bem procurando mais o contra-ataque que raras vezes saiu perfeito. Foi ainda capaz de marcar o terceiro golo da autoria de Lucho Gonzalez, aos 87' bem assistido por Lisandro Lopez que tinha entrado pouco antes a substituir Hulk, com o capitão portista a entrar pelo centro da área e a rematar fora do alcance de Júlio César.

Num jogo que não foi brilhante, destaque mais uma vez para Hulk com mais uma bela exibição.


Duarte Gomes, o «assoprador» de serviço esteve quase sempre bem mas teve duas falhas imperdoáveis. A primeira ao sancionar o golo do Belenenses uma vez que Saulo se encontrava ligeiramente deslocado. A segunda foi a amostragem ridícula do primeiro amarelo a Fucile, já que claramente se tratou de bola na mão.





2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Vitória justa, mas sofrida, pois como não matamos o jogo e não sabemos controlar, sujeitamo-nos a passar por isto, que é a nossa sina com Jesualdo.

Temos mais vitórias e mais golos marcados fora de casa que no Dragão e é preciso alterar isso e nada melhor que no jogo contra o Benfica.

Conseguimos manter a liderança e isso era muito importante.

Muito bem Hulk - grande jogador -, Lucho e C.Rodríguez - para desespero do Vasconcelos.

Muito bem pensada a gestão dos amarelos. Andamos a dormir ou quê?

Um abraço

Vitor Daniel disse...

Grande vitória e uma boa exibição, mesmo em condições atmosféricas más o F.C.Porto deu um grande espetaculo ao público desta vez fizeram uma boa exibição, gostei muito deste F.C.Porto, vi os Tri-Campeões a jogar uma coisa que não via já a algum tempo, parabens a equipa principalmente a Rodriguez, Lucho, Hulk, Mariano e Fernando que foram mágnificos no jogo.
Agora temos pela frente jogos que podem decidir o campeonato apesar deste ano estar tudo a ecorregar quando não deve, mas estou muito confiante.
Um Abraço, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt/