domingo, 3 de maio de 2009

MARCAR CEDO, CONTROLAR E MATAR O JOGO

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

Todos sabíamos que o jogo do Funchal poderia ser mais um indicador para a decisão deste campeonato. O facto dos rivais terem perdido pontos reforçou esta ideia.

Mais do que isso, praticamente sentenciou a entrega das faixas já que o FC Porto não desperdiçou a oportunidade de alargar a vantagem para seis e onze pontos para os rivais.

Sem praticar um futebol vistoso, longe disso, os Dragões viram os seus desejos coroados de êxito logo a partir dos três minutos quando Raúl Meireles, num remate forte sobre a esquerda bateu o guarda-redes insular.

O golo madrugador teve o condão de serenar a equipa azul e branca que optou por uma toada cautelosa, de controle e gestão, espicaçada de quando em vez por jogadas muito perigosas que lhe poderiam ter garantido ainda na primeira parte o avolumar do resultado. Estou a lembrar-me de uma bola no poste de Bruno Alves, no primeiro minuto; de um roubo de bola de Lisandro que o colocou em boa posição para marcar e uma jogada de Rodríguez que na cara do golo, atirou contra Marcos.

A lesão de Meireles aos 22' contribuiu de alguma forma para o menor acerto azul e branco passando a denotar algumas dificuldades nas transições para o ataque. Os passes saíram quase sempre transviados tornando o futebol atacante muito deficiente. Valeu-nos nessa altura a boa organização defensiva, com Rolando, Bruno Alves e Fernando, sempre bem posicionados a mandar nessa zona do terreno.

Depois do intervalo o Marítimo mostrou-se mais decidido, a trocar muito bem a bola, obrigando os jogadores portistas a trabalho exigente. Mas foi o Porto que fez subir o marcador aos 64' por Rolando. Cristian Rodríguez marcou um livre à entrada da área e Rolando num toque subtil de cabeça fez a bola anichar-se nas redes pela segunda vez.

Rude golpe para as aspirações madeirenses que não perderam o ânimo e ainda fizeram a barra de Helton tremer com o poderoso remate de Marcinho.

O FC Porto começou a acertar melhor as saídas em contra-ataque e numa jogada bem característica conduzida por Mariano que levou a bola até perto da área onde colocou no centro em Rodriguez. Este tocou inteligentemente para a desmarcação de Tomás Costa, que sobre a direita não se fez rogado atirando a contar para o terceiro da noite.

Estava garantida a vitória frente a um adversário que a valorizou muito.

Os meus destaques vão sobretudo para o bloco defensivo que se apresentou muito coeso e autoritário contribuindo de forma decisiva para a inviolabilidade da sua baliza.

Jesualdo passou mais uma prova de fogo e somou a décima vitória consecutiva fora de casa.

Faltam apenas três pontos para que o Tetra seja uma realidade. O FC Porto vai ter ainda mais três possibilidades para os concretizar (Nacional, Trofense e Braga).





5 comentários:

Líder Portista disse...

Faltam 3 pontos! E eu vou estar para a semana no estádio do Dragão a apoiar o Futebol Clube do Porto!
Falta 1 vitória para o Tetra-campeonato.
Foi um jogo difícil este apesar do resultado enganador, o Marítimo deu luta.
Perdemos o Raul Meireles aos 20 minutos, já começa a ser rotina, espero que o Raul não tenha nada de grave!

Mais 3 envelopes para o título!

dragao vila pouca disse...

Não vi o jogo, vi apenas o Domingo Desportivo e como devem calcular, apesar do resumo alargado, não dá para fazer uma análise correcta, se bem pelo que o resumo mostrou, me pareceu ter havido um grandíssimo Mariano e um bom Porto...mesmo sem Hulk, Lucho e com Meireles a sair muito cedo do jogo, o que fez com que o meio-campo fosse composto, com excepção de Fernando, por jogadores com poucos jogos e poucas rotinas.

Já se sente um intenso cheiro a manjerico, prenúncio de S.João antecipado, o que tem sido quase uma constante, nestes 27 anos de presidência de Pinto da Costa.

Domingo, lá estaremos preparados para a festa, mesmo sabendo que o adversário é muito difícil e não vem disposto a servir de bombo da festa azul e branca. O F.C.Porto é quase a única coisa que resta, para que este Norte esquecido e maltratado, tenha algumas alegrias e possa esquecer, por momentos, o drama do desemprego, das falências e da crise, que para estes lados, ainda é pior.

Um abraço

Vitor Daniel disse...

O titulo do Post diz tudo, marcamos cedo, depois controlamos, com mais ou menos dificuldades e no fim demos a machadada final agora vamos para o Dragão, sem euforias para vencer o Tetra, Força Porto!!!

Um abraço, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt/

The Blue One disse...

Dragaopentacampeao, concordo com o que disseste quando afirmas que o golo madrugador de Raul Meireles serviu para "facilitar" a partida no Funchal.

Foi sobretudo um jogo muito bem jogado e com a equipa Portista a dar muito boa conta de si mesmo depois da saída forçada de Meireles...

Se os rapazes jogarem assim no Domingo e Jesualdo não inventar, o Porto é Tetra Campeão com muito mérito para dor de cotovelo de muita "gentinha".

Saudações Portistas!!!

Não é Portista quem quer, só é Portista qeum pode

ninja disse...

Domingo espera-se que entremos forte como neste jogo e que façamos a festa do Tetra.

Será um jog difícil, mas o nosso apoio vai ser decisivo.

Abraços