quarta-feira, 3 de outubro de 2007

GELO AZUL NO INFERNO TURCO

Palco do Jogo: Estádio Inonu - Istambul (Turquia)
Competição: Champions League - 2ª jornada Grupo A
Hora do Jogo:
19,45 h
FC Porto:
Helton; Bosingwa, Stepanov, Bruno Alves e Fucile; Paulo Assunção, Raul Meireles Leandro Lima 87') e Lucho Gonzalez; Quaresma, Lisandro Lopez (Adriano 75') e Tarik (Marek Cech 64')
Suplentes não utilizados:
Nuno, Pedro Emanuel, Bolatti e Mariano Gonzalez
Árbitro:
Pieter Vink - Holanda
Marcadores: Quaresma (92') Acção disciplinar: Cartões amarelos para Raul Meireles (45') e Bruno Alves (66')


A deslocação a Istambul revestia-se de alguns perigos, tendo em conta não só o valor da turma turca mas também do ambiente infernal que os adeptos da equipa do Besiktas costumam proporcionar, especialmente nos confrontos internacionais.

As dificuldades confirmaram-se e principalmente na primeira parte o FC Porto mostrou-se muito cauteloso, em alguns momentos medroso, no seu habitual 4-3-3,com os seus médios muito recuados. Quaresma, apesar da marcação cerrada de que foi alvo, foi o jogador mais solicitado nesse período e talvez por essa insistência o futebol azul e branco tornou-se demasiado previsível e fácil de anular. Os turcos desenvolviam um futebol mais agressivo e perigoso, criando algumas dificuldades. O Porto defendia bem e lançava alguns contra ataques.

O segundo tempo trouxe um FC Porto diferente. Jesualdo mexeu na equipa tirando Tarik e lançando Marek Cech aos 64', passando a actuar em 4-4-2. Essa alteração teve o condão de libertar Lucho que começou a aparecer e a pautar o jogo portista, transformando-o num futebol mais ousado, ambicioso e de melhor qualidade. O equilíbrio a meio campo foi reposto e disso beneficiou o futebol portista que começou a aparecer com perigo junto da baliza turca. Quaresma e Adriano desperdiçaram boas oportunidades de golo. O Besiktas de quando em vez também ameaçava mas a defesa portista, apesar de alguns sobressaltos ia conseguindo resolver.

Quando os ponteiros do relógio já passavam do minuto 90 e parecia que o resultado já não iria ser alterado, numa jogada de insistência, Leandro Lima toca para Lucho que de primeira encosta, num providencial falhanço, colocando a bola nos pés de Quaresma que com o virtuosismo habitual fez a bola beijar as malhas garantindo uma preciosa vitória.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adorei. O gelo azul gelou os turcos em Istambul e o branco geloou os apitos encarnados nas 2ª circular.
Só dá azul e...branco. Obrigado ucranianos por serem tão bondosos, mas vejam lá se na Ucránia não falham tantos golos.
Ah... e Vieira tem razão, este é de longe o melhor Benfica dos ultimos dez anos, o que também não era dificil.

AZUL DRAGÃO disse...

Atitude de campeão !