sábado, 21 de novembro de 2009

IMPEROU O BOM SENSO

Perante um relvado muito mal tratado, agravado pela intempérie que se abateu na manhã e principio da tarde de hoje, Bruno Paixão, o árbitro designado para dirigir o encontro, decidiu pelo adiamento por não haver condições mínimas para a sua realização.

Os atletas ainda fizeram o aquecimento no lamaçal que ameaçava ficar num completo batatal à medida que ia sendo pisado.

O jogo fica assim adiado para data a determinar.

Sobre o assunto, parece-me pertinente uma série de criticas:

1 - Como é que a Liga Profissional permitiu e continua a permitir a realização de jogos da Liga Vitalis, nas mesmas condições? É desta forma que se defende o futebol? Santa incompetência!

2 - A Federação Portuguesa de Futebol que foi tão crítica quanto às más condições encontradas na Bósnia, lavou as mãos como Pilatos, deixando para o árbitro a decisão que ela própria tinha a obrigação de tomar. Não têm olhos na cara? Covardia tem limites!

3 - As preocupações e reacções dos dirigentes e equipa técnica portista tinham, como se verificou, toda a razão de ser.

2 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

..."As preocupações e reacções dos dirigentes e equipa técnica portista tinham, como se verificou, toda a razão de ser."...


Tal e qual !


Um abraço

Anônimo disse...

Afinal quem tinha razão? A única entidade que quis evitar este desfecho foi o FC Porto. Mas logo se levantaram vozes, os habituais "do contra"… Neste país continuamos a encarar tudo com leviandade, despudor e irresponsabilidade. O futebol não foge à regra. Aprendam com quem sabe.
Nota: estive com uma pessoa, presente no campo, que me disse que, aquando do aquecimento, o Farias ficou com o pé e parte da perna enterrados na lama!
F. Moreira