sábado, 21 de novembro de 2009

POLÉMICA? OLHEM QUE NÃO!

O adiamento do jogo Oliveirense - FC Porto para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, determinada pelo árbitro Bruno Paixão, está a ser motivo de grande polémica.

O juiz setubalense recorreu-se dos regulamentos, após verificação das condições precárias do terreno agravado pelas condições meteorológicas ocorridas durante a manhã, estendendo-se há hora do jogo.

Há quem defenda que a atitude do árbitro foi imposta pelo «poder» que Pinto da Costa «deterá» nas altas esferas do futebol nacional (!), cujas declarações e comunicados antes do jogo terão funcionado como factores de pressão. Só falta acusarem-no de ter feito complot com o S. Pedro.

Ora esta corrente de opinião é a mesma que tanto criticou as condições em que Portugal foi obrigado a jogar na Bósnia;

É também a mesma que considera normal arrancar as cadeiras das bancadas para duplicar a lotação, ignorando as normas de segurança;

É também a mesma que tolera que num estádio lisboeta se «obrigue» a instalar 3000 adeptos portistas num espaço destinado a 1000;

A mesma que defende que o Campeonato Nacional de Juniores devia ser ganho à pedrada;

É ainda a mesma que entende como perfeitamente normal a mudança de um jogo a contar para a Liga Profissional, do Estoril para o Algarve, passando por cima dos regulamentos, para servir interesses instalados.

Alvitram que a Oliveirense defrontou os últimos dois adversários para a Liga Vitális, nas mesmas condições (Carregado e Gil Vicente), como se um erro justificasse um cento; que o futebol profissional deveria ser encarado como o amador, enfim... o folclore do costume.


Parece-me evidente que o presidente José Godinho se aproveitou da grandeza do FC Porto para estrategicamente procurar sensibilizar a comunidade oliveirense para a necessidade da construção de um novo estádio. As suas palavras são inequívocas: «Espero que seja irreversível o processo para a construção de novo estádio. Demonstrámos a toda a comunidade oliveirense que para estarmos numa competição não podemos ter este estádio, ou então teremos de descer de divisão.»

Considero legítimo que a Oliveirense pretenda efectuar o jogo no seu estádio. Foi esse o sentido do sorteio. Para tal, deverá esforçar-se no sentido de apresentar as condições minimas regulamentares, sem o recurso a expedientes ou a saloiadas. Seria agradável conseguir ter o Sol na eira e a chuva no nabal, mas tal não será possível como ficou evidente.

6 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma polémica estéril à boa maneira portuguesa

1) Por muito mau que fosse o relvado do estádio na Bósnia, pretender, de alguma forma, comparar esse relvado com esta espécie de pantanal onde a FPF pretendia realizar o jogo Oliveirense-FC Porto só pode ser uma brincadeira de mau gosto ou uma demonstração de completa desonestidade.

2) Com ou sem razão, a FPF protestou veementemente a decisão da FIFA de permitir a realização do jogo nesse mesmo relvado. Não se compreende que tenha, poucos dias depois, pretendido realizar um jogo da Taça de Portugal num verdadeiro pântano que estava visivelmente em muito piores condições do que o da Bósnia. Também não se compreende que a maioria dos portugueses tenha concordado com a posição da FPF em relação ao jogo do play-off e agora venha tomar uma posição completamente contrária em relação ao jogo da Taça de Portugal. Mudaram de ideias sobre o assunto dos relvados só porque agora é o FC Porto a protestar? A isso chama-se hipocrisia.

3) Além do relvado, a FPF protestou pelo facto da FIFA ter permitido que o estádio bósnio enchesse muito acima da sua capacidade máxima. Não se compreende que agora venha alegar que estavam reunidas todas as condições de segurança no estádio da Oliveirense quando era do conhecimento público que o clube tinha mandado retirar as cadeiras para duplicar a capacidade do estádio. E, acrescente-se mais uma vez, também não se compreende a mudança de opinião dos portugueses sobre esse assunto em tão poucos dias, em mais uma evidente demonstração de hipocrisia.

4) Qualquer pessoa com um par de olhos na cara e dois dedos de testa percebe que todo este imbróglio devia ter sido evitado pela FPF e que tal só aconteceu graças à incompetência e à hipocrisia de quem dirige o futebol português. Se existe alguém que merece ser criticado, esse é, obviamente, a FPF, e nunca os clubes intervenientes que acabaram por ser as principais vítimas desta situação.

5) Pretender, de alguma forma, lançar as culpas para cima de um dos clubes intervenientes quando este mesmo clube, com toda a legitimidade, se preocupou em chamar a atenção das entidades responsáveis para problemas que eram visíveis e óbvios aos olhos de toda a gente, não passa de uma demonstração de clubite aguda.

6) Mais do que clubite, a atitude atinge mesmo o fanatismo cego, absurdo e irracional, quando se pretende estabelecer uma ligação despropositada e sem qualquer nexo entre este caso e outros casos baseados em escutas telefónicas que, inclusivamente, já foram julgados com os resultados que se conhecem.

7) Por muito que isso custe a algumas pessoas que insistem em viver nos tempos em que a Justiça era feita na praça pública por multidões de escumalha enfurecida, os julgamentos são feitos por tribunais isentos e idóneos que decidem em função de factos comprovados e não de devaneios de gente histérica. Assim sendo, qualquer indivíduo que pretenda desrespeitar essas decisões levantando suspeições gratuítas sobre a seriedade das mesmas ou da legitimidade das leis em que se baseiam demonstra que não pretende verdadeiramente a aplicação da Justiça mas sim a manipulação da Verdade em função dos seus interesses mesquinhos e privados. E gente dessa, decididamente, não faz falta absolutamente nenhuma ao país.
"maisfutebol" (RM)

dragao vila pouca disse...

Completamente de acordo, mas convém perguntar: quem é o responsável por aquele estádio sem o mínimo de condições ter sido licenciado?

Será que se não fosse o Oliveirense o clube do Hermínio a licença seria passada?

Um abraço

Anônimo disse...

LABAREDAS

Lá foram os últimos neurónios...

Pior que um invejoso é um invejoso com amnésia selectiva e que nega a realidade. Há muitos por aí, especialmente quando o tema é futebol e o FC Porto. A fronteira entre a sanidade e a demência, nestes casos, é cada vez mais ténue. O melhor, a bem de todos, é o internamento.

Escreve Vítor Serpa, no estrito cantinho que é da sua responsabilidade no jornal A Bola, que «o Benfica tentará consolidar o seu poder de único clube português com dimensão europeia». Reparem bem… «único clube português com dimensão europeia». Percebem? «Único», «dimensão europeia»… Sim, caro Vítor! E o Elvis Presley ainda está vivo, a pentear a melena numa praia do Havai…

Será que Vítor Serpa esteve a dormir no último meio século? Sabe, por acaso, quem é o recordista de presenças na UEFA Champions League? Consegue nomear o clube português com mais títulos internacionais? Lembra-se de Viena e Gelsenkirchen? E de um bicampeão do mundo que veste de azul e branco? A TV já era a cores… Pergunte aí no pasquim por «um tal» G14, que juntava os melhores emblemas da Europa. Faça uma pesquisa na internet (já existe há uns anos uma ferramenta chamada internet, sabia?) e descubra qual o clube que mais activos tem rentabilizado para os maiores palcos… Actualize-se, homem!

Que era benfiquista e (não) dirige um jornal vermelho já todos sabíamos, agora que dorme à porta do manicómio é novidade. O desaparecimento do bigode levou-lhe mesmo os derradeiros neurónios.

AZUL DRAGÃO disse...

De facto , o campo não possui as mínimas condições para a prática de futebol .



Um abraço

Jornal Só Desporto disse...

Eu acho que isto é o estado do nosso desporto serão os culpados os adeptos que querem assistir a um jogo de futebol? Não quem manda se aquele estádio não presta não pode ser licenciado como ainda lá vão jogar os clubes da Liga Vitalis?

Deus...anteriormente conhecido como... disse...

Ontem o Seboso que tem um tempo extra na televisão para falar, também achava que o FCP tinha tido tratamento especial por parte da Federação de Futebol Portuguesa, porque segundo ele a decisão já estava tomada há muito. Se o campo era um batatal ou não, isso não interessa...se o Paixão (que toda a gente sabe é um "admirador" profundo do FCP) teve razão ao adiar o jogo, tb não interessa...
Penso que já está na hora de o FCP mandar um murro na mesa, e não através de labaredas anonimas, e meter essa corja nojenta no lugar deles.