domingo, 11 de novembro de 2007

DISPLICENCIA E SOBRANCERIA, DOIS ERROS CAPITAIS

Palco do jogo: Estádio da Reboleira - Amadora
Competição: Bwin Liga - 10ª Jornada
Hora do Jogo: 20:45 h
FC Porto: Helton; Bosingwa, Stepanov, Bruno Alves e Fucile; Paulo Assunção, Raúl Meireles (Kazmierczak 87') e Lucho Gonzalez (Bolatti 71'); Quaresma, Lisandro Lopez e Tarik (Adriano 78').
Suplentes não utilizados: Nuno, Pedro Emanuel, Marek Cech e Hélder Postiga
Árbitro: João Ferreira - Setúbal
Marcadores:
Lisandro Lopez (24') e Raúl Meireles (50')
Acção discipl
inar: Cartão amarelo para Stepanov (90')

Dois erros clamorosos ditaram o desfecho deste encontro.

Ao contrário do que se tem assistido em anos anteriores o Porto entrou a dominar este jogo não permitindo grandes veleidades ao opositor. Foi por isso que, com toda a naturalidade, Lisandro Lopez aos 24' inaugurou o marcador ao concluir com êxito um cruzamento de Raúl Meireles, que o argentino recebeu no peito e rematou certeiro de pé esquerdo.

A partida parecia ficar sentenciada aos 50' quando Raúl Meireles, recebendo um passe atrasado de Quaresma remata forte e faz o 0-2.

Até aqui, exebição calma, serena, dominadora e totalmente controlada. Com
muito Lucho e mais Quaresma do que tem sido habitual nos últimos jogos, o Porto até podia ter chegado ao terceiro num grande trabalho do mágico portista que depois de se libertar de vários adversários lançou Lisandro sobre a esquerda que rematou de pronto fazendo a bola esbarrar no poste com o guarda-redes batido.

Com a saída de Lucho aos 71' e face à ausência de dificuldades, os jogadores do Porto deixaram-se arrastar para uma toada sonolenta e displicente.

Aos 86' Helton comete o primeiro erro grave saindo a um cruzamento em terrenos que não são os seus. Chega atrasado ao ponto de intercepção onde Stepanov discute e perde o lance com Maurício que saltou mais alto cabeceando para a baliza deserta.

Este golo ao invés de acicatar os Dragões deixou-os ainda mais vulneráveis ao ponto de no primeiro minuto do tempo de descontos Stepanov cometer infantilmente o segundo erro, ao puxar a camisola do avançado do Estrela que se encontrava de costas para a baliza na procura da recolha da bola, dando origem a uma grande penalidade bem concretizada.

Estava feita a igualdade que pela exibição no computo geral o Porto não merecia mas que pune os últimos quinze minutos de
falta de humildade e grande sobranceria.

Depois de uma série de oito jornadas sempre a ganhar o Porto entrou no ciclo dos empates. Talvez sirva para que a equipa reflicta e conclua que nunca se deve adormecer sobre as vitórias conseguídas. O campeonato é longo e a procissão ainda vai no adro.

3 comentários:

Anônimo disse...

Falta de vergonha, é o que é Dragaopentacampeão. Se este treinador tivesse vergonha estava a treinar as camadas jovens do Olivais e Moscavide ou os veteranos do Costa da Caparica, para ir com frequência ao Barbas com o seu amigo Vilarinho.

Paulo Pereira disse...

Pouco a acrescentar, pois já tudo foi dito! Sobranceria é mesmo a palavra chave. Mas sabes o k me revolta ainda mais, depois de ter passado uma noite mal dormida, com o pensamento a fugi sempre para imagens do jogo?
É saber k os "meninos" displicentes tiveram um bónus, por terem enxovalhad o clube: dois dias de folga. E eu, como muitos outros adeptos do clube, k sofremos diariamente por aquelas cores, frustrados e irritados com a perda imbecil de dois pontos, enquanto as "prima-donnas" aproveitam para mais umas compras milionárias, uns penteados novos..

Confesso k me começo a sentir cansado com tanta displicencia e benevolencia, ressuscitando um campeonato k estava mais do k ganho. Sensação de deja-vu...

Abraço,

AZUL DRAGÃO disse...

Pura estupidez !