domingo, 8 de agosto de 2010

BANHO DE BOLA!

FICHA DO JOGO

(Clicar nos quadros para ampliar)

Foi uma vitória sem espinhas diante de um arrogante Benfica que durante toda a semana foi sendo galvanizado pelas papoilas saltitantes, dando a entender que o troféu em disputa seriam favas contadas.

A realidade do jogo cedo desfez essa ideia perante uma equipa do FC Porto muito mais forte, coesa e solidária. Os Dragões nem necessitaram de por em prática um futebol arrasador para tomar conta das operações, desenvolvendo meia hora de futebol assente na posse e circulação de bola, pressão constante e alta e qualidade no passe, permitindo uma agradável e eficaz construção de jogadas de perigo junto da área adversária.

O golo logo aos três minutos, por Rolando, correspondendo de cabeça a um canto de Belluschi, contribuiu para pôr o campeão dos túneis em sentido, só lhes permitindo o primeiro remate por volta dos vinte minutos. Foi um sufoco que poderia ter rendido mais alguns golos. Moutinho esteve muito perto de o conseguir não fora a intervenção em esforço de Luisão quase sobre a linha fatal.


Na segunda parte o Benfica tentou equilibrar a partida mas foi o FC Porto sempre mais forte, dominante e a beneficiar das melhores oportunidades de golo, pelo que foi sem surpresa que aos 67 minutos, em mais uma bela jogada de ataque, Varela foi à linha cruzar, depois de trocar os olhos a Luisão, e Falcao, com todo o sentido de oportunidade, a aparecer de rompante, antecipando-se a Airton, estoirando para a baliza do estupefacto Roberto.

Depois foi a festa de mais um título, o 50º da era Pinto da Costa, a 17ª Supertaça e a primeira de André Villas Boas.

A equipa mereceu indiscutivelmente este triunfo pelo futebol praticado, pela raça e ambição. Foi um bloco muito unido e solidário, dando boas indicações para o futuro. O plantel tem alguns desequilíbrios, que o treinador reconhece e que espera venham a ser corrigidos até ao fim deste mês, altura em que fecha o mercado.

Gostei francamente do desempenho de toda a equipa, mas não posso deixar de destacar Helton, muito seguro, Rolando e Maicon, Álvaro Pereira, Fernando, Moutinho, Falcão e o melhor de todos Silvestre Varela.

Embora não goste muito de falar de arbitragens, não posso deixar de me surpreender como é que o «João pode ser o João» perdoou três expulsões aos sarrafeiros vermelhos (Cardozo, César Peixoto e Carlos Martins)!

As papoilas saltitantes vão ter certamente muitas dificuldades em revalidar o título já que perderam um elemento importantíssimo e responsável máximo pela vitória no campeonato. Refiro-me evidentemente ao insubstituível Ricardo Costa (pavão vermelho) da CD da Liga.

8 comentários:

6012 - Azul desde 1971- disse...

Foi mesmo um BANHO DE BOLA! Não me cansei de o escrever no Facebook, não me cansarei de o dizer esta semana em Lisboa (vai ser lindoooo), e sinto uma euforia própria de quem há muito sente um ambiente negativo sem razão sólida para tal!
SOMOS PORTO MEU CARO DRAGÃO PENTACAMPEÃO!

Dragão Azul Forte disse...

Dragão azul forte, para começar!... Grande e brilhante vitória!
Eu tinha dito: os benfas que saibam e que se cuidem; os jogos ganham-se em campo, não com as manchetes verborreicas dos pasquins da capital. E acrescento: aos que já previam que o Porto não ganharia ao benfas nos próximos 10 anos, aí têm a resposta de um fantástico grupo, de um Clube de primeira linha que está sempre no combate, na pugna por mais uma vitória. A arrogância, a sobranceria, pagam-se caro. A mouraria que continue assim, alegre e convencida. Nas cá estamos para, como hoje, mostrar-mos em campo o que valemos.
Destaques: em primeiro lugar, Villas-Boas – engendrou táctica perfeita, incutiu nos jogadores vontade de vencer, garra, valentia, concentração, invejável entrega ao jogo com inteligência, saber, rigor e disciplina. Na segunda parte fez-me uma vontade: colocou Varela qual flecha virada à baliza do Benfica, com Falcão a vir de trás. AVB, muito bem no seu primeiro grande título. Depois: Varela, Belluschi, Helton, Fernando, Rolando, Moutinho e Falcão. Os outros estiveram à altura, embora Hulk (que teve o seu papel na vitória) pudesse fazer melhor. Virá a oportunidade.
Em suma uma equipa do FC Porto, à PORTO! Que melhor para definir o grande jogo de um conjunto a que mais de “6 milhões” auguravam uma pesada e humilhante derrota?
Alguns cartões vermelhos ficaram por mostrar, todos a jogadores do benfas. Será que da nova táctica para a equipa moura, faz parte o “vai à perna e parte”? É táctica para juntar à dos túneis?! É demais…
Finalmente uma palavra para um feito. Um feito de que não há ninguém que se possa orgulhar, além de Pinto da Costa: 50.º título na sua carreira de Presidente! Único, extraordinário, imbatível. Com Nuno Pinto da Costa, o nosso Presidente, o nosso timoneiro, iremos partilhar muitos mais títulos. Podem ter a certeza. Bibó POOOORTO!
Só mais uma palavra. De agradecimento às claques azuis-e-brancas; o vosso apoio é e será sempre imprescindível.
Ah, nos 3 dias de luto nacional que o poder socrático, vermelho (do benfas) e… (não digo) vai decretar, eu vou rir, saltar, cantar e repetir, vezes sem conta, BIBÓ POOOORTO!
Ah, ah, bem observado. Já me esquecia que as papoilas tinham perdido o "craque" a quem devem o título dos túneis: Ricardo Bosta. Sem esse ponta-de-lança... nada feito.

Jorge disse...

vens quase de encontro à minha crónica na Porta19. foi uma surpresa muito boa, com garra, fibra, vontade de vencer!!!
É ainda muito cedo para tirar conclusões acerca da forma como a época vai decorrer. Há picos de forma diferentes, lesões, castigos, jogadores que ainda vão sair e outros que ainda vão entrar. No entanto, a vitória neste primeiro jogo, particularmente por ser contra a equipa que é, uma equipa forte, dinâmica e aguerrida, que é campeã nacional em título, é um excelente resultado. É a prova que a força, a garra, a vontade de vencer e a inteligência que a equipa mostrou em campo está lá, está dentro dos jogadores. E todas estas qualidades foram trazidas cá para fora pelo treinador, tal como Jesualdo tinha conseguido no jogo do Dragão contra o Benfica no ano passado. É um triunfo moral para Villas-Boas, que já teve de aturar as bocas de muitos imbecis em três curtas semanas. Este resultado serve como bofetada de luva branca e é assim que temos de jogar em todos os jogos, em todos os estádios, se queremos voltar a ser campeões. Villas-Boas começa bem. Tem tudo para o terminar da mesma forma.

um abraço,
Jorge
http://porta19.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Pelo adversário, de qualidade e em forma, porque agora era a sério e não havia mais lugar a experiências, este era - pelo menos para mim. Disse-o antes do jogo... - o verdadeiro teste ao novo F.C.Porto de André Villas-Boas. Não como um teste decisivo, nada disso, apenas de primeira avaliação, para ver como como estão as coisas, como está a evoluir a equipa, principalmente, como ela se comporta em jogos desta importância, como reage a jogos com esta pressão. E o resultado do teste foi: aprovado com distinção. Uma exibição notável e notável em todas as variantes do jogo, em tudo o que se pede a uma equipa de qualidade. Pressão, concentração, controlo do jogo, ousadia, qualidade, numa equipa tacticamente irrepreensível.

Acrescento o seguinte: não devemos, nem podemos, embandeirar em arco. Há arestas a limar, no lado direito da defesa, na coordenação entre os centrais, nas coberturas - falta delas - de Hulk. Ainda estamos no início, temos muito a trabalhar e muito a evoluir, mas aquilo que eu achava que ia fazer a diferença, foi notório: refiro-me à forma como a equipa do Benfica foi "trabalhada" e como foi preparada mentalmente a equipa portista.
O rei da táctica levou uma banhada e se André Villas-Boas é o Informático, só podemos concluir que o Software é de qualidade.


Um abraço

R.M.Silva da Costa disse...

Todas as dúvidas dissipadas quanto ao "regresso" do nosso Futebol Clube do Porto ao centro da auto-estima do orgulho portista!

Como é que não podemos falar da parcialidade desta figura ridícula a fazer de juiz?
Afinal, Lucílio Baptista não era tão mau assim.

Três expulsões? Fosse algum jogador do Porto a ter o comportamento de um David Luiz (ah, Paulinho Santos, o que disseram de ti... Estás perdoado!) e de um Cardozo e o Benfica não estaria em condições de concluir o jogo por falta de jogadores.

Gaspar Lança disse...

Isto sim, é o Porto que eu conheço. Começo dominador, arrasámos por completo o adversário. Uns óptimos primeiros 25 minutos, e os restantes minutos também eles muito bons por parte da equipa azul e branca.
Rolando e Falcao fizeram o gosto ao pé (no caso do primeiro, bem.. foi mais à cabeça) e deram assim a muitos portistas uma grande alegria.
Há que continuar a trabalhar, este ano o campeonato e a Taça (e continuo a dizer que a Liga Europa também[!]) são nossos!!

Super Porto!
Um abraço

http://odragaozinho.blogspot.com

Dragão Azul Forte disse...

O FC Porto deve exigir processo disciplinar aos jogadores do Benfica que protagonizaram verdadeiras cenas de caça ao adversário na Final da Supertaça. Eles não podem ficar impunes. Isto não é a “estória” dos túneis; trata-se de agressões que toda a gente viu, até os ditos “6 milhões”. Não pode haver benevolência para uns e o cutelo discricionário e implacável para outros. Não podemos ser complacentes com esta rebaldaria. O FC Porto deve impor-se e, se for necessário, recorrer à UEFA se isso for possível. Se alguém, no estrangeiro, vir o que aconteceu e souber que não houve penalizações ou, pelo menos, um inquérito, ficará pasmado.

Anônimo disse...

O Portal dos Dragões tem um video sobre a violencia do slb na supertaça que creio seria de divulgar o mais possivel.
A nova constituição do "Tribunal de ojogo" é estranhissima???!!!
Será que o FCP não toma posição pela escandalosa arbitragem da Supertaça ???!!!