sexta-feira, 27 de agosto de 2010

«HAT-TRICK» DE HULK CONFIRMOU PASSAPORTE

FICHA DO JOGO


(Clicar nos quadros para ampliar)

Depois de uma vitória confortável por 3-0 na Bélgica, o FC Porto confirmou a passagem à fase de grupos da UEFA Europa League ao bater novamente o KRC Genk, por 4-2, na segunda mão do “play-off”, disputada no Estádio do Dragão, em mais uma exibição de duas faces, onde não faltaram as habituais «abébias defensivas»!

André Villas Boas deu a titularidade a Beto, Souza, Rúben Micael e ainda ao regressado Hulk. Os Dragões entraram ameaçadores, obrigando László Koteles a defesas vistosas em remates de Falcao, Hulk e João Moutinho, antes de o Genk inaugurar a contenda, aos 22 minutos, num remate de Vossen.

A resposta dos “azuis e brancos” não demorou. Hulk foi rasteirado por Koteles dentro da área, mas, chamado a marcar, não foi capaz de concretizar em golo.

A formação portista haveria de chegar ao empate ainda na etapa inicial, aos 36 minutos, altura em que Hulk, disparou uma «bomba», na marcação de um livre directo apontado de fora da área.

Foi uma primeira parte muito fraca. A equipa entrou demasiado despreocupada, algo desconcentrada (Maicon, logo na primeira jogada, entregou o ouro ao bandido que felizmente se surpreendeu com tantas facilidades) quiçá até com alguma sobranceria. A defesa mostrava-se insegura, o meio campo sem ligação e o ataque atarantado. Muitos passes errados, grandes dificuldades na recepção da bola, falta de criatividade, enfim uma caricatura de equipa.

André Villas Boas terá dado uma reprimenda durante o intervalo já que a equipa surgiu no segundo tempo bastante diferente. Moutinho apareceu mais esclarecido e Souza mais operacional. Fernando não tardou a dar a volta ao resultado, oito minutos depois do reatamento, com um forte e colocado remate na zona frontal, mas depois de nova «abébia» Vossel bisou voltando a empatar o encontro.

O jogo conheceu então a sua melhor fase. Daeseleire fez falta dentro da área sobre Moutinho e, chamado pela segunda vez a converter um castigo máximo, Hulk não falhou, aos 59.

As entradas de Varela e Belluschi foram fulcrais para o domínio e controlo do jogo que se seguiu.

Hulk voltou a marcar de livre directo, com nova «bomba» e houve ainda tempo para Castro se estrear nas provas europeias quando substituiu Micael a meio da etapa complementar.

No meio de tanta intermitência dois nomes se destacaram: Fernando e Hulk. O médio só necessita de evoluir na qualidade de passe para se tornar um caso muito sério, no panorama mundial. Quanto ao avançado, foram dele os maiores momentos de aflição junto da baliza contrária.

Helton desta vez não estava lá e as «abébias» resultaram em golos!

5 comentários:

ultrafcporto disse...

Um começo menos favorável para a nossa equipa, mas sem dúvida que depois dos percalços resolvidos, a nossa equipa foi e é arrasadora. Um Fernando que valeu por os 4 do meio campo sem dúvida excelente em campo. E um Hulk demolidor, mas ainda um pouco guloso. Venha a próxima fase da Liga Europa, mas primeiro a vitória sobre o Rio Ave é já o que importa, acumular + 3 pontos na tabela classificativa do campeonato nacional.

Cumprimentos,
Ultrasfcportomatosinhos

Dragão Azul Forte disse...

Grande jogo de Hulk e Fernando (como tem evoluído!), bom jogo de Souza (tenho dito que vai dar que falar), Micael e Moutinho esforçados. Os centrais... ai, ai (às vezes).
Um abraço.

dragao vila pouca disse...

Dragão intermitente.

Fases boas, outras más, bem no meio-campo e no ataque, problemas lá atrás, com os centrais a darem as abébias do costume, que ontem, infelizmente, tiveram consequências e lá se foi a virgindade.

Mas e isso é o mais importante, objectivo cumprido, um "score" que não deixa dúvidas e lá estamos na fase de grupos para tentar chegar o mais longe possível, quem sabe, até Dublin?

Hulk em grande, R.Micael abaixo do que sabe e quando Sapunaru é o melhor defesa...

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Boa tarde não vi o jogo,

O que sei é do pequeno resumo que vi, e do que li agora aqui.

Os dois golos sofridos pela nossa equipa, são inadmissíveis. Muito mal o centro da defesa na antecipação ao avançado que marcou por duas vezes.

Quanto ao Hulk ... bem este esquema de 4-4-2 dá-lhe mais liberdade de aparecer onde quer que seja, sempre lançado em velocidade pelos colegas de meio campo.

Estou de acordo que com a qualidade dos nossos médios, se calhar este esquema táctico vá-se afirmar, embora Villas Boas saliente a aposta no 4-3-3:

«Não é dúvida para ninguém que a opção da equipa técnica passa pelo 4x3x3. Culturalmente, o jogador português e os que jogam em Portugal estão mais habituados a essa táctica. Nesse sentido, é o sistema preferencial. Mas os jogadores são evoluídos e permitem fazer alterações como têm visto, até dentro do próprio jogo. Quando assim é, eu é que tenho de fazer a gestão de recursos».

Sei que este nosso Porto é tacticamente flexível, o que é uma enorme vantagem!

Passa em momentos do jogo de um 4-3-3 para 4-4-2 com enorme facilidade e sem perder qualidade, tudo fruto da qualidade técnico-táctica dos nossos centro campistas.

Relembro que Mourinho em 2003/2004 utilizava o 4-3-3 em Portugal, e 4-4-2 na Europa ... com os resultados que conhecemos.

O 4-3-3 permite meter mais velocidade e abrir o jogo contra equipas fechadas.

O 4-4-2 permite-nos controlar e dominar os jogos com mais consistência e mais posse de bola.

Este Porto promete ... mas há que corrigir os erros no centro da defesa.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Tiago Araújo disse...

Boas,
O FCPorto apresentou-se digno que merece continuar a vencer, estamos na Fase de Grupos e vamos ver quem nos calha na Fase.
Gostei do jogo, vi o jogo através do site oficial do fcporto e a transmissão não falhou nenhuma vez.

abraço