domingo, 7 de fevereiro de 2010

TRÊS TIROS CERTEIROS!

FICHA DO JOGO


O jogo frente à Naval aconteceu como previsto. A turma orientada por Augusto Inácio apresentou-se no excelente relvado do Dragão, com preocupações defensivas, especialmente na primeira parte, obrigando o FC Porto a aturado trabalho ofensivo, onde o apelo à paciência e inteligência foi uma constante.

Com alguns jogadores a actuar em nível consideravelmente abaixo do manifestado frente ao Sporting, como Varela, Mariano e Belluschi, o FC Porto demorou cerca de dez minutos a pautar o seu jogo, sob o comando do maestro Ruben Micael.

A toada defensiva dos figueirenses e o forte povoamento das suas fileiras mais atrasadas colocaram grandes dificuldades de progressão aos azuis e brancos, que ainda assim construíram alguns lances de perigo com destaque para um livre directo marcado por Bruno Alves e um pontapé de bicicleta de Falcão, antes de se adiantar no marcador, na marcação de um livre indirecto dentro da área, a castigar jogo perigoso sobre Álvaro Pereira. Tomás Costa rematou forte e beneficiou de um ressalto da bola num defensor da Naval, suficiente para trair o seu guarda-redes.

O Porto prosseguiu na intenção de dilatar o resultado e voltou a ter possibilidades não aproveitadas.

No segundo tempo, a Naval apareceu mais distendida no terreno e então passou-se a assistir a um jogo mais dividido. Helton evitou o golo da igualdade, mas a maior capacidade técnica do FC Porto acabaria por dar os seus frutos. Falcao e Varela fizeram o gosto à cabeça e ao pé, respectivamente acabando com a réplica forasteira.

Vitória justa e pelos números certos com uma exibição agradável dos tetracampeões nacionais.

Gostei francamente da exibição de Tomás Costa. Esteve bem a defender e ainda teve tempo para construir ofensivamente de forma inteligente, com passes bem medidos a desmarcar as alas, para além de ter sido ele a fazer o primeiro rombo no «couraçado» da Naval. Fucile e Àlvaro Pereira estiveram muito activos, compensando o menor desempenho de Mariano e Varela. Ruben é a mais valia que se confirma de jogo para jogo e na frente Falcao, hoje com menos espaço, foi mais uma vez determinante.



6 comentários:

Anônimo disse...

Calabote deixou escola…
Publicado por CAA em 6 Fevereiro, 2010

O sr. árbitro que actuou em Setúbal não merecia aquilo: com a ajuda do seu assistente, fabricou foras-de-jogo, anulou um golo limpo, perdoou a expulsão de Maria, e, já em desespero, inventou um penalty ao nonagésimo minuto! E nem assim… Realmente, um árbitro faz o que pode (e muito mais do que é obrigado) mas, por enquanto, ainda não pode fazer tudo, tudo, tudo – nem todos são Ricardos Costas, que diabo!
Muito a propósito, amanhã, domingo, será lançado um livro que narra a história da figura referencial da arbitragem lusa, um exemplo imitado, repetido, plagiado, vezes sem conta e durante anos a fio, sem dúvida nenhuma o espectro que pairou hoje em Setúbal: o sr. Calabote.
O autor é João Queiroz e a apresentação de Rui Moreira – amanhã, domingo, às 17.30h, na livraria Bertrand do Dolce Vita, no Porto.
in Blasfemias

The Blue One disse...

Confesso que me deu um particular gozo o FC Porto ter ganho este jogo... È que agora a tremideira vai tomar conta da equipa da Luz e nem as ajudas, nem os favorzinhos da Liga Portuguesa de Futebol os safarão.

Com Micael o FC Porto é outra coisa, pois a bola chega á frente em condições e há uma coisa que não havia desde que o Dragão começou a temporada: Organização.

Até Falcao parece ter melhorado, pois deixou de ser um Farias 2 para ser uma especie de Lizandro. E com a bola a ser-lhe bem colocada a coisa é outra. Habemos matador. e se o deixarem teremos nas fileiras Portistas o Melhor Marcador desta temporada.

Varela para mim esteve em grande apesar de ter falhado golos de uma forma impressionante.

Segue-se agora o jogo das meias finais da Taça dos Treinos. Jesualdo que aproveite para rodar os Jogadorese, dar ritmo aos menos utilizados, pois o que interessa vem a seguir contra o Leixões e o FC Porto x Arsenal é já ali ao virar da esquina.

Grande abraço e saudações Portistas!!!

dragao vila pouca disse...

Não foi Ópera, mas também não foi música pimba. Digamos que foi um fadinho, o nosso fadinho, sofrido, com o susto da praxe, mas tudo está bem quando acaba bem.

Equipa da Naval fechada e algum cansaço, natural, na base da exibição menos conseguida. De qualquer maneira, o fundamental, a vitória, foi conseguida e encurtamos distâncias para o andor vermelho que era o mais importante.

Um abraço

Anônimo disse...

Na quarta/Feira Hulk e Sapunaru perfazem 11 jogos de castigo mais que Pepe (RMadrid) que não foi alvo de provocações!!!!!!!!!

Continuem a lembrar o facto e a denunciar.

Isto afinal é campeonato de futebol ou Tunebol ?!

Pedro Rocha disse...

Mais uma exibição interessante e três pontos importantíssimos na bagagem. Aproveitamos assim da melhor maneira o deslize do Slb, encurtamos as distâncias e acima de tudo mantemos um boa dinâmica de vitórias.

Abraço

ultrasfcportomatosinhos disse...

Saudações Portistas, claro que este jogo não teve nada a ver com o jogo do Sporting, mas verdade seja dita jogou-se o suficiente e marcou-se 3 golos, o objectivo foi cumprido, agora uma coisa vos digo a mouraria já perdeu 2 pontos e vão perder muitos mais, agora quem está em grande tenho que admitir é o Braga, que com sorte ou sem lá soma e segue. Estou ansioso por o jogo com o Braga para equilibrar as contas ah....ah...

Abraço Portistas