quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

VITÓRIA CURTA!


FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

O triunfo do FC Porto frente ao Arsenal, por 2-1 é um resultado bastante curto, tendo em conta as óbvias dificuldades que os Dragões vão encontrar em Londres, no jogo da segunda-mão.

Os azuis e brancos entraram determinados, colocando as redes dos «gunners» em perigo, criando duas boas oportunidades nos três primeiros minutos. Ruben Micael e o reaparecido Hulk estiveram bem perto do golo. A velocidade e as desmarcações iam abrindo fendas na defensiva arsenalista, mas a eficácia do remate ficava a desejar. Foram dez minutos de grande intensidade portista, a dar a ideia de domínio avassalador.

Por volta do minuto onze, Varela escapou pelo lado direito do ataque portista e tentou centrar para a área, mas a trajectória da bola acabou por trair Fabiański, que ao abordar o lance deficientemente, acabou por largar a bola para as redes, confirmando o 1-0. Um frango monumental!



O Arsenal reagiu, acertou as marcações e passou a jogar mais apoiado e mais perigoso no ataque. A desenvoltura do seu futebol, com passes bem medidos e perfeitos pertubaram a organização portista.

Aos 18', Fàbregas apontou um canto na esquerda, Vermaelen desviou para trás, com Rosicky a surgir desmarcado ao segundo poste e a assistir Campbell no coração da área portista, limitando-se apenas a empurrar de cabeça para o fundo das redes. Fácil, prático e eficaz com a defensiva portista a assistir, de camarote!

Os Dragões tremeram, tendo Helton evitado a reviravolta do marcador com uma atenta e excelente defesa de um remate venenoso de Rosiky.

O jogo estava intenso e emocionante. Ruben Micael, ainda antes da meia hora de jogo, obrigou o guardião a defesa vistosa, após remate poderoso.

Na segunda metade, o FC Porto voltou a entrar melhor, na procura de novo golo, que viria a acontecer de forma fora de comum. Campbell acossado por Falcao, atrapalhou-se acabando por atrasar a bola para o seu guarda-redes, com este a recolhê-la com as mãos e a originar um livre indirecto no interior da área inglesa. Rúben Micael aproveitou a desatenção dos jogadores do Arsenal e marcou o livre de imediato, com Falcao a não ter dificuldade para fazer o 2-1, perante a estupefacção dos adversários.




Até final, o FC Porto ainda tentou dilatar a vantagem, mas a incapacidade física já não permitiu manter o ritmo e o jogo foi perdendo qualidade.

Bom jogo de toda a equipa com destaque para Helton, Ruben Micael, Falcao e Silvestre Varela.

Nota especial para Hulk, que após 58 dias de afastamento das competições, voltou a fazer o que mais gosta. É que a influência dos tentáculos do polvo vermelho, na UEFA vale ZERO, apesar das tentativas conhecidas.

Espera-nos uma segunda-mão muito complicada, não só em função do golo sofrido mas também da capacidade do adversário.

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Arsenal, grande equipa, grandes jogadores, um futebol de toque em progressão, rápido e difícil de contrariar.
Um bom Porto, a quem falta ritmo frente a equipas destas, habituadas a outros andamentos, sem esquecer os árbitros, que, e ao contrários dos nossos, deixam jogar e isso causa ainda maior desgaste.

Conclusão:
uma vitória, mesmo que pela diferença mínima e com um golo sofrido é uma vitória. Mas para que essa vantagem permita a passagem da eliminatória, vai ser preciso um Porto como em Manchester e em Madrid, na época passada.
Eu acredito, mesmo tendo consciência do enorme obstáculo que temos de ultrapassar...

Um abraço

The Blue One disse...

Foi um jogo com um Golo de Varela muito esquisito do qual até o seu autor se riu e outro que mostra a Classe e Maturidade que o Madeirense Micael trouxe á equipa Portista. Ainda estou para perceber porque razão o FC Porto não o contratou logo no incio da temporada.

Foi uma vitória que soube bem á generalidade dos Portugueses e dos Portistas, pois muitos ainda tem na memória a cara de gozo que o Treinador Françês fez quando goleou o FC Porto em Londres há umas épooas atrás.

Não entendo o porque de tanta Critica a Jesualdo e à equipa Azul e Branca que na Europa do Futebol tem de jogar desta maneira e não á "mandão" como muitos querem. É a realidade do nosso Futebol e da equipa que temos. E muito mérito tiveram o Treinador e os Jogadores que estão no intervalo a vencer uma equipa que é de um Campeonato doutra galáxia.

Uma palavra final para os Parolos de Encarnado vestido que tentam minorizar esta importante vitória do Porto e de Portugal:

Internen-se numa Instituilção Psiquiatrica o mais rapidamente possivel, pela vossa Saúde e pela Saúde dos outros que tem de vos aturar.

Cumprimentos e saudações Portistas!!!

Anônimo disse...

O treinador ensinou-me, como nunca antes na minha carreira, o que preciso para a minha posição e isso está a dar frutos", comentou.
__________________
Palavras do Jogador Falcão em entrevista para a Colombia.