domingo, 28 de março de 2010

A IMPORTÂNCIA DE TER HULK

FICHA DO JOGO

(Clicar no quadro para ampliar)

Para quem pôs em causa a importância de Hulk na equipa do FC Porto, o jogo desta noite terá contribuído para dissipar as dúvidas.

Sem rubricar uma grande exibição, impensável face à natural perda de ritmo pelo afastamento de 14 jornadas, por ter respondido às provocações de uma papoila saltitante, Hulk foi só o melhor elemento em campo. Fez duas assistências, no primeiro e no terceiro golos e marcou, com um remate portentoso, o segundo da partida. Pedir mais seria no mínimo irrealista.

De resto, o FC Porto dominou todo o encontro frente a um adversário que se fechou muito no último terço do relvado, limitando-se a defender e de longe a longe contra-atacar. Pena a toada de treino dos Tetracampeões, a que não será alheia a fraca condição física de alguns atletas bem como a debilidade técnica de outros.

Notou-se mais uma vez falta de ligação, ocasionada principalmente pela falta de qualidade do passe, uma das pechas da equipa, desde o principio da época, aliada a velocidade moderada a permitir ao adversário tempo para se reorganizar.

Hulk foi o principal desequilibrador, com os seus sprints, as suas deambulações e os seus fortes remates:

Logo aos 8' Hulk fez um aviso, rematando forte da esquerda e à entrada da área, saindo a bola muito perto do poste;

Aos 40', na marcação de um livre, o brasileiro colocou a bola na cabeça de Rolando para este fazer inaugurar o marcador;

Aos 51', depois de tirar dois adversários do caminho, Hulk encheu o pé esquerdo, à entrada da área, disparou uma bomba sem qualquer hipóteses de defesa;

Aos 82' repetiu na violência do remate, com a bola a passar muito perto da baliza;

Aos 83', conduziu o esférico pelo lado esquerdo, levantou a cabeça, centrou com precisão para a cabeça de Falcao que não perdoou;

Aos 93', Hulk foi mais rápido que Marcos António, ganhou a bola e espaço, cruzou com peso, conta e medida, Falcao livre de marcação, encostou para as redes, mas o árbitro auxiliar inventou uma falta de Hulk que não existiu.

Vitória segura e justa, contribuindo para o reforço do terceiro lugar.

5 comentários:

Dragão Azul Forte disse...

Hulk aplicou 3 murros (um golo, duas assistências) aos donos da Liga, Ricardo Bosta e Hermínio Toureiro. Um dos murros (golo) devia dar mais 3 meses de suspensão... Ou irradiação – eras o que eles queriam… Agora que o Braga está mais longe do 1.º lugar, cabe ao Porto conquistar o 2.º. É preciso que faça o seu trabalho (bem) e esperar pelo resto. Ah, claro, mais um golo mal anulado a Falcão. Pelas minhas contas o colombiano (raça de Dragão!) estaria 3 golos à frente do mouro. Enfim, mais do mesmo…

dragao vila pouca disse...

No regresso do injustiçado, o F.C.Porto conseguiu uma vitória natural, tranquila, sem discussão, numa exibição que não foi brilhante, muito longe disso, mas teve períodos razoáveis, principalmente quando o protagonista era Hulk.

Depois de uma vitória em Vila do Conde, para a Taça, que nos colocou com pé e meio no Jamor, agora mais uma vitória que permite encurtar distâncias para o segundo lugar e acalentar esperanças na luta por um lugar na Champions.

É pouco, estamos habituados a muito mais, mas nesta altura temos de ser realistas e fazer tudo de maneira que, se esse objectivo não for conseguido, não seja por não termos feito a nossa obrigação.

Um abraço

Big Midget disse...

Boas.

Bom post

Vejam e comentem este:
http://oladodofutebolquenuncaviram.blogspot.com/2010/03/hulk-e-mais-10_28.html

Abraço

Anônimo disse...

Claro que oHulk é um jogador Importante no plantel e bem falta nos fez e há quem saiba bem disso...

O Dragãozinho disse...

Não foi um grande jogo, não foi o melhor desta época, mas esteve muito longe de ser o pior. Apesar da vitória, há ainda que melhorar alguns aspectos, mas valeu a pena voltar a ver o Hulk - que regresso!